Home Praia Sul-Americano de Praia: Brasil busca medalhas em Rosário e Ana Patrícia será porta-bandeira
Praia - 13 de março de 2019

Sul-Americano de Praia: Brasil busca medalhas em Rosário e Ana Patrícia será porta-bandeira

O vôlei de praia brasileiro entra em quadra nesta semana em busca de mais uma conquista internacional. As duplas Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), comandadas pelo técnico Reis Castro, e Renato/Adrielson (PB/PR), do técnico Robson Xavier, disputam os Jogos Sul-Americanos de Praia-2019, que ocorrem na cidade de Rosário, na Argentina.  A estreia dos times ocorre nesta quinta-feira (14.03), contra adversários que ainda sairão em sorteio.

Além de ser um dos esportes com mais conquistas, nesta edição o vôlei de praia será destaque também na Cerimônia de Abertura. Ana Patrícia, campeã dos Jogos Olímpico da Juventude de 2014 e Bicampeã Mundial Sub-21, foi escolhida pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para ser porta-bandeira da missão. Ela comentou a emoção por representar os demais atletas.

– É uma alegria muito grande ser escolhida para levar a bandeira do meu país na Cerimônia de Abertura entre tantos atletas de alto nível que temos aqui nos Jogos. É uma satisfação enorme e dá ainda mais motivação para fazermos uma boa participação no Sul-Americano – disse Ana Patrícia, que em 2019 foi campeã da etapa da Holanda, no Circuito Mundial.

Quem também celebrou a chance de defender o Brasil foi o Campeão Mundial Sub-21 Renato Andrew. O paraibano foi convocado e irá refazer a dupla com Adrielson, com quem venceu o mundial de base em 2017. Nos torneios nacionais, ambos possuem outros parceiros.

Renato, Adrielson, Ana Patrícia e Rebecca
(Divulgação/CBV)

– Fico muito feliz de poder representar o Brasil nessa competição, um torneio enorme, envolve várias modalidades, vários países da América do Sul. Estou muito contente em ter mais essa experiência, acrescentar mais esse degrau como atleta profissional. E as expectativas são as melhores possíveis, Adrielson e eu nos conhecemos, temos entrosamento, fomos campeões mundiais de base juntos. Vamos realizar treinamentos aqui em Rosário, ajustar alguns detalhes, e buscar representar nosso país da melhor maneira possível, lutar por medalha.

O sistema de disputa é similar ao do Circuito Sul-Americano de vôlei de praia. São quatro grupos com quatro duplas que jogam entre si. Os dois melhores times de cada chave avançam às quartas de final. Os vencedores disputam as semifinais, e em seguida ocorrem os duelos pelas medalhas de bronze e ouro. A definição das chaves ocorre no sorteio do Congresso Técnico, na tarde desta quarta-feira.

Se para Renato, Adrielson e Ana Patrícia, esta será a primeira experiência nos Jogos Sul-Americanos de Praia, Rebecca já possui experiência – e conquistas no torneio. Em 2011, jogando ao lado de Neide (AL), foi campeã na edição disputada no Equador.

Na oportunidade, o Brasil também foi campeão no naipe masculino, com Moisés e Vitor Felipe (BA/PB). Em 2009, o país também levou o ouro com Lili/Elize Maia (ES), e prata com Álvaro/Vitor Felipe (PB). Em 2014, na Venezuela, o Brasil não levou times no vôlei de praia.

LEIA TAMBÉM

Anunciada a sede das finais da Liga das Nações masculina

Itambé/Minas vira e segue líder da Superliga feminina

Sander, destaque do Sada/Cruzeiro, recebe propostas do exterior

+Egonu desequilibra na Champions, Novara vence e anuncia técnico

Líbero Serginho fala sobre mais um título do Sada/Cruzeiro e planos para o futuro

Giba volta a atuar para promover vôlei inglês

Poste seu comentário

Veja também

Sesc RJ passeia sobre o Sesi/Bauru em casa e empata o playoff das quartas de final

Com uma atuação impecável e uma facilidade impressionante, o Sesc RJ derrotou o Sesi/Bauru…