Home Superliga Paula Pequeno: “Noite terrível”, sobre derrota do Osasco/Audax para o Pinheiros
Superliga - 24 de novembro de 2018

Paula Pequeno: “Noite terrível”, sobre derrota do Osasco/Audax para o Pinheiros

Time do interior perde no tie-break e sofre o primeiro revés na Superliga

O Pinheiros derrotou o Vôlei Osasco-Audax na noite desta sexta-feira (23), no ginásio José Liberatti, pela terceira rodada da Superliga Feminina 2018/19. Mesmo com o apoio de sua torcida, a equipe osasquense acabou sendo superada pela adversário, que ganhou por 3 sets a 2, parciais de 25/21, 22/25, 25/18, 18/25 e 15/9, em 2h03min. Agora, Walewska, Hooker, Claudinha, Camila Brait e cia. se concentram em buscar a reabilitação diante do Fluminense. O jogo será novamente em casa, na terça-feira (27), a partir das 19h30, com transmissão pela internet no site globoesporte.com. O Pinheiros recebe o Minas, no mesmo dia, às 19h, no Ginásio Vilaboin, em São Paulo. O time de Osasco é o quarto colocado, com 7 pontos. O Pinheiro é o sexto, com 5.

Duas jogadoras dividiram o posto de maior pontuadora da partida: Mari Cassemiro e Clarisse, com 17 acertos cada uma. A ponteira Clarisse ainda foi eleita, pela comissão técnica do seu time, a melhor em quadra e recebeu o Troféu VivaVôlei.

Paula disse que atuação de hoje é para se esquecida (João Neto/FotoJump)

Para Paula Pequeno, a rodada desta terça-feira deve ser esquecida.

– Eu diria que tem dia que a noite é terrível. O time estava estranho desde o início. Parece que não entramos em quadra. Cometemos erros que normalmente não cometemos. Erros que comprometem em uma Superliga deste nível. Essa partida não deve ser parâmetro para nada, mas temos que aproveitar essa lição para que esse marasmo não bata novamente. Agora estamos todas chateadas, porque sabemos que rendemos abaixo, mas é cabeça no lugar e pensar no próximo jogo – disse a jogadora.

O comentário de Camila Brait após a partida seguiu no mesmo tom.

– Fizemos um primeiro set mais ou menos, mas no segundo voltamos muito abaixo. O jogo estava vindo para a gente e não soubemos aproveitar as oportunidades. Nosso time estava muito apático e sabemos que isso não pode acontecer. Mas agora é ter cabeça boa, porque na terça-feira já tem outro jogo. Vamos estudar os erros para corrigir o mais rápido possível e lutar pela vitória em casa diante do Fluminense – analisou a líbero.

O jogo

Osasco e Pinheiros tiveram um início de jogo equilibrado, com os dois times alternando a liderança no placar. As donas da casa só começaram a mandar efetivamente na partida quando Walewska e Hooker, no bloqueio, colocaram a equipe osasquense na frente no 20/19. A dupla repetiu a dose no 22/19 e coube a oposta norte-americana garantir a vitória por 25/21 em duas bolas de segurança na saída de rede.

O segundo set manteve a tônica da parcial inicial, mas com final diferente. Os dois times seguiram mantendo equilíbrio em quadra. As comandadas de Luizomar chegaram a abrir três pontos (19/16) com um ace de Angela Leyva. As adversárias, porém, empataram e o treinador pediu tempo para reorganizar sua equipe. Mas três erros seguidos de recepção inverteram a vantagem. Com 23/20 no placar, as jogadoras do clube paulistano souberam administrar para fechar em 25/22 e empatar a partida.

Hooker, que havia deixado a quadra na metade do segundo set, voltou para o terceiro. E foi na oposta norte-americana o ponto para abrir quatro de vantagem (10/6). A defesa das donas da casa estava funcionando. E Claudinha mostrou oportunismo para aproveitar uma bola de xeque e mandar para o fundo de quadra e garantir o 15/8. As osasquenses ameaçaram voltar a sofrer com a recepção, mas depois de ver seu time tomar quatro pontos seguidos, Luizomar parou o jogo. Na volta, Claudinha engatou uma sequência de quatro bons saques, a vantagem voltou a crescer no 22/16. E com mais dois pontos de Hooker, Osasco encaminhou a vitória (24/17), que veio após erro do Pinheiros por 25/18.

Com Paula Pequeno em quadra, para delírio da torcida no Liberatti, o Vôlei Osasco voltou à quadra disposto a

A líbero Camila Brait (João Neto/Foto Jump)

fechar a partida. Mas o Pinheiros não permitiu. A central Nati Martins, que mais uma vez veio do banco e entrou bem na partida, atacou para não deixar o adversário deslanchar quando abriu 7/4. Mas Luizomar precisou pedir tempo quando o time paulistano fez 9/5. Após o adversário marcar 12/7, Angela Leyva retornou. Contudo, o treinador teve que parar o jogo novamente quando seu time ficou sete pontos atrás (17/10). Apesar da luta e de esboçar uma reação embalada nos bons saque de Mari e nos ataques de Hooker, Osasco viu o Pinheiros ganhar por 25/18 e empatar a partida.

O quinto set foi tenso desde o início. O Vôlei Osasco correu atrás até Nati Martins, no bloqueio, garantir o 8/7 e a virada de quadra na frente. Na sequência, porém, dois erros de recepção colocaram o Pinheiros em vantagem (10/8) e Luizomar pediu tempo para ajustar sua equipe. Na sequência, fez a inversão, colocando Lorenne e Carol Albuquerque. O adversário, contudo, fez mais dois pontos no 12/8. Embaladas, as adversarias fecharam em 15/9 e a partida em 3 sets a 2.

Vôlei Osasco-Audax jogou com Claudinha (5), Hooker (18), Walewska (13), Natasha (4), Mari Paraíba (8), Angela Leyva (16) e a líbero Camila Brait. Entraram: Lorenne (3), Carol Albuquerque, Nati Martins (10), Paula Pequeno (2). Técnico: Luizomar de Moura.

O Pinheiros jogou com Lyara (3), Aline (14), Mari (17), Clarisse (17), Herrera (15), Camila Paracatu (9) e a líbero Juliana. Entraram: Fran (1), Pietra, Payne, Amanda. Técnico: Sergio Negrão.

Veja também

Brasília supera o Sanca e se firma no G8

O Brasília derrotou o São Caetano por 3 sets a 1 – parciais de 25-11, 25-18 22-25, 2…