Home Superliga Brait, do Osasco/Audax, sobre clássico contra o Sesc RJ: “Estudamos muito o time delas”
Superliga - 13 de dezembro de 2018

Brait, do Osasco/Audax, sobre clássico contra o Sesc RJ: “Estudamos muito o time delas”

Líbero do time paulista fala do equilíbrio do maior clássico da Superliga

O Vôlei Osasco-Audax enfrenta o Sesc-RJ nesta sexta-feira (14), em um dos maiores clássicos da modalidade no mundo. Os dois times entram em quadra em momentos opostos. Enquanto as comandadas de Luizomar embarcam para o Rio de Janeiro em busca da terceira vitória consecutiva na Superliga 2018/19, a equipe carioca vem de duas derrotas seguidas. A partida começa às 20h, no ginásio do Tijuca, com transmissão do SporTV 2.

Para a equipe osasquense, o momento de instabilidade apresentado pelo adversário nas duas últimas rodadas não deve ser levado em conta.

– O Sesc tem um grande time e cada jogo tem sua história. Esperamos, como sempre, um duelo muito difícil e equilibrado, no qual os detalhes devem fazer a diferença – avalia a ponteira Mari Paraíba.

A ponteira do Osasco/Audax, Mari Paraíba (João Pires/Divulgação)

Camila Brait, complementa.

– É um clássico e nos preparamos muito para ele. Treinamos forte, estudamos muito a equipe delas e vamos para o Rio dar o nosso melhor para conquistar mais essa vitória – afirma a líbero.

Osasco e Sesc-RJ somam os mesmo 12 pontos na classificação geral da Superliga. Com um jogo a mais, as cariocas aparecem na frente da tabela, na quarta colocação, enquanto as osasquenses estão em sexto lugar. Uma vitória nesta sexta-feira, por qualquer placar, colocará a equipe de Walewska, Claudinha, Leyva, Hooker e cia à frente das rivais do Rio de Janeiro. A liderança é do Dentil/Praia Clube, com cinco resultados positivos em cinco rodadas.

Camila Brait entregou o Troféu VivaVôlei à peruana Angela Leyva (CBV/Divulgação)

O bom momento em quadra é reflexo de muito treino, mas também do bom relacionamento entre as atletas. Dois exemplos aconteceram nas vitórias sobre Hinode e Vôlei Balneário Camboriú. As jogadoras demonstraram a união do time em gestos simples, mas significativos. Camila Brait foi eleita pelos telespectadores do SporTV como a melhor em quadra em Barueri, contudo, entregou o troféu VivaVôlei para Angela Leyva, que havia tido uma atuação decisiva no ataque, com 17 pontos.

Três dias depois, foi a vez da ponteira peruana fazer o mesmo e passar a premiação para as mãos da central Nati Martins.

– Fiz aquilo porque o prêmio tem que ser dado a quem faz a diferença e quem fez a diferença foi a Nati. Todo o time jogou junto, mas ela mereceu – explicou Leyva.

Times do sonho

De acordo com a estatística da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), o Vôlei Osasco-Audax mantém duas atletas na seleção da Superliga. A central Walewska e a ponteira Mari Paraíba continuam a figurar no Time do Sonho. A oposta norte-americana Hooker e a líbero Camila Brait também figuram na lista de destaques e estão no Time do Sonho 2.

Veja também

Flávio admite viver momento especial da carreira

Aos 29 anos, Flávio vive um dos melhores momentos da carreira. O meio de rede defenderá o …