Home Superliga Fluminense bate o BRB/Brasília em casa e se recupera na Superliga
Superliga - 21 de dezembro de 2018

Fluminense bate o BRB/Brasília em casa e se recupera na Superliga

Depois de perder para o Praia e para o Curitiba, Tricolor volta a vencer na Superliga

O Fluminense voltou a vencer na Superliga Cimed Feminina 2018/2019. Depois de perder para o Dentil/Praia Clube, por 3 a 0 e para o Curitiba, por 3 a 1, o Tricolor derrotou o BRB/Brasília por 3 sets a 0 – parciais de 25/14, 27/25 e 25/14 -, nesta sexta-feira à noite, no Ginásio da Hebraica, no Rio de Janeiro, pela 9ª rodada. Com o resultado, as cariocas passaram o Curitiba Vôlei na classificação. Têm agora 16 pontos (5 vitórias e 4 derrotas).

A Superliga agora entra no recesso de final de ano. O próximo compromisso do Fluminense é contra o Minas, dia 8 de janeiro, às 19h30, no Ginásio do Hebraica, com transmissão do SporTV 2. O BRB/Brasília, nono colocado com 9 pontos (3 vitórias e 6 derrotas), tem pela frente o Hinode/Barueri, no mesmo dia, às 20h, em Taguatinga.

A central Lara Nobre foi a maior pontuadora do confronto, com 17 pontos (10 de ataque e 7 de bloqueio) e levou o Troféu VivaVôlei. A oposto Joycinha foi outro destaque do time tricolor, com 14 acertos. Pelo lado do Brasília, a maior pontuadora foi a oposto Renatinha, com 14 pontos.

A central Lara Nobre, do Flu, levo o Troféu VivaVôlei (CBV/Divulgação)

A ponteira Pri Daroit, do Flu, analisou a partida:

– Nosso time joga bem quando saca bem. É o primeiro fundamento que precisa funcionar. Começamos muito bem no jogo, nosso contra-ataque foi bom e tudo deu certo. No segundo set, aliviamos um pouco o saque e elas acabaram crescendo. Voltamos para a quadra sacando bem e o time teve calma e lucidez no momento de dificuldade. Agora é hora de uma breve e merecida pausa – disse.

O jogo

Equilibrado, o primeiro set começou com o Brasília na frente, mas rapidamente alcançado pelo Fluminense, que bloqueava muito bem. As adversárias estacionaram no placar errando muito na recepção, enquanto as tricolores comandavam o jogo, fechando com ampla vantagem: 25 a 14.

O Fluminense começou melhor no segundo set, mas deixou o Brasília empatar (13 a 13). O técnico Hylmer Dias pediu tempo e cobrou atenção maior na finalização e rapidez no contra-ataque. Os times continuaram trocando pontos, mas também tinham problemas na recepção. Letícia Hage na rede definiu a parcial para o Flu: 27 a 25.

O terceiro set foi mais tranquilo para o Time de Guerreiras. Tudo fluiu: a força de Joycinha no ataque, o paredão no bloqueio, com o brilhantismo da capitã Letícia Hage e os bons momentos de Pri Daroit e Thaisinha. Hylmer Dias mexeu pouco na equipe, que disparou no placar, fez 25 a 14 e fechou o jogo.

(Nadine Oliver/Brasília)

 

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…