Home Superliga Os planos do levantador Thiaguinho, capitão do Sesc, para 2019
Superliga - 26 de dezembro de 2018

Os planos do levantador Thiaguinho, capitão do Sesc, para 2019

Jogador quer dar passos importantes para consolidação da carreira

O terceiro lugar na estreia pelo Sesc na temporada passada da Superliga Cimed masculina, a primeira convocação para a Seleção Brasileira adulta e casamento. Thiaguinho, capitão e levantador do time carioca, não tem o que reclamar de 2018. Em férias em João Pessoa, sua cidade natal na Paraíba, o jogador de 25 anos admite ter ainda mais objetivos para alcançar em 2019.

– Se fosse resumir 2018 em uma única palavra seria gratidão. Sou muito grato por tudo aquilo que acontece na minha vida, e este foi um ano de muitas realizações, crescimento profissional e pessoal. Tenho certeza de que 2019 vai ser ainda mais repleto de conquistas. Acho que o bom ano no Sesc RJ e a convocação para a seleção foram os melhores momentos. Mesmo que a temporada passada tenha sido boa, ter caído nas semifinais deixou um gosto que podemos ir além. Então em 2019 farei de tudo para chegar na final da Superliga – comenta Thiaguinho.

O Sesc encerrou o turno da Superliga 2018/2019 na liderança, com 27 pontos, um a mais que o hexacampeão Sada/Cruzeiro (MG), vice-líder. A estreia no segundo turno acontecerá no dia 12 de janeiro, quando o time carioca receberá o Copel Telecom Maringá.

Mas janeiro será bem agitado. Nos dias 8 e 9, na Argentina, o Sesc estará em quadra para disputar o encerramento da fase classificatória da Copa Libertadores. A equipe comandada por Giovane Gávio, que lidera o grupo 1, enfrentará os argentinos Bolívar e Ciudad Voley, valendo vaga nas semifinais que acontecerão em fevereiro. Além disso, o Sesc RJ jogará a Copa Brasil. No dia 16, receberá o Fiat/Minas. Se vencer, já estará classificado para as semifinais da quinta edição da competição, que serão realizadas no dia 26. A decisão do título será no dia 27.

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…