Home Especiais Vôlei leva maior fatia entre as modalidades do país para 2019
Especiais - 19 de dezembro de 2018

Vôlei leva maior fatia entre as modalidades do país para 2019

Confira os valores repassados da Lei Agnelo/Piva pelo COB para as confederações

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou, nesta quarta-feira a divisão dos repasses de recursos da Lei Agnelo/Piva (LAP) para as Confederações Brasileiras Olímpicas para 2019. Com uma estimativa de arrecadação de R$ 250 milhões (11,1% a mais do que em 2018), o COB repassará às Confederações ou investirá diretamente em atletas e equipes um total de R$ 194,3 milhões, um aumento de aproximadamente 15,2% em relação a 2018.

O vôlei vai levar a maior parcela entre todas as modalidades: R$ 7.176.076,10. Na sequência aparecem judô (R$ 6.733.833,96) e atletismo (R$ 5.368.072,74).

– Estamos investindo com consistência nas ações diretas no esporte. Em 2019 vamos chegar ao maior patamar de investimento de Lei Agnelo/Piva, com 77,7% desta receita direcionada a ações esportivas – disse o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira. – O momento exige mais investimentos, já que 2018 foi um ano de dificuldades políticas e administrativas, com questões importantes que impactaram o sistema esportivo e a sociedade brasileira de uma forma geral – completou.

Para realizar a divisão dos recursos da lei Agnelo/Piva para 2019, o COB reavaliou e ajustou os critérios utilizados em 2018, buscando ainda mais alinhamento com o mapa estratégico da entidade. Uma novidade é o item destinado ao Programa GET (Gestão, Ética e Transparência), uma iniciativa da entidade para auxiliar no aprimoramento da gestão das confederações brasileiras de esportes olímpicos, que agora passa a contar pontos válidos para a definição da distribuição.

Desta forma, o COB utiliza parâmetros, com base agora em 12 critérios, sendo 10 ligados à área esportiva e dois à área de governança.

Brasil foi vice-campeão mundial neste ano (Divulgação)

Dos R$ 250 milhões estimados, R$ 109 milhões serão descentralizados e repassados para aplicação em programas das 34 Confederações Brasileiras com modalidades no programa olímpico, exceto a de futebol. Outros R$ 85,3 milhões serão aplicados pelo COB nos demais projetos esportivos:

– Projetos de Preparação Olímpica (PPOs) – ações especiais alinhadas com as Confederações, dentro do planejamento estratégico de preparação de atletas e equipes para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e Jogos Pan-Americanos Lima 2019

– Centro de Treinamento Time Brasil

– Laboratório Olímpico

– Missões internacionais, como o Pan

– Capacitações através do Instituto Olímpico Brasileiro

– Projetos de desenvolvimento de jovens talentos e Jogos Escolares da Juventude

– Corpo técnico de preparação das equipes (treinadores, preparadores físicos, médicos, fisioterapeutas, fisiologistas, entre outros)

SAIBA QUANTO CADA CONFEDERAÇÃO RECEBERÁ DA LEI AGNELO/PIVA

Atletismo – R$ 5.368.072,74
Badminton – R$ 2.583.601,01
Basquetebol – R$ 2.762.892,99
Beisebol/softbol – R$ 801.470,59
Boxe – R$ 4.567.503,26
Canoagem – R$ 4.438.879,51
Ciclismo R$ 3.032.515,28
Desporto na Neve – R$ 2.563.841,26
Desporto no Gelo – R$ 2.286.948,06
Desportos Aquáticos – R$ 4.533.173,18
Escalada – R$ 801.470,59
Esgrima – R$ 2.644.790,67
Ginástica – R$ 4.552.305,64
Golfe – R$ 2.573.279,18
Handebol – R$ 2.888.152,16
Hipismo – R$ 2.719.894,85
Hóquei sobre Grama – R$ 2.353.868,91
Judô – R$ 6.733.833,96
Karatê – R$ 801.470,59
Levantamento de Peso – R$ 3.851.418,85
Pentatlo Moderno R$ 3.078.564,35
Remo – R$ 2.358.003,34
Rugby – R$ 2.558.708,85
Skate – R$ 801.470,59
Surf – R$ 801.470,59
Taekwondo – R$ 3.289.363,59
Tênis – R$ 2.961.402,97
Tênis de Mesa – R$ 2.942.726,72
Tiro com Arco – R$2.815.585,67
Tiro Esportivo – R$ 3.174.853,95
Triatlo – R$ 2.480.867,39
Vela – R$ 4.596.159,18
Voleibol – R$ 7.176.076,10
Wrestling – R$ 3.098.010,46

Veja também

Fluminense: aposta em elenco alto, jovem e agressivo

Primeiro campeão brasileiro de vôlei feminino, em 1976, e seis vezes campeão sul-americano…