Home Praia Ana Patrícia e Rebecca avançam em Haia. No masculino, Brasil não começa bem
Praia - 4 de janeiro de 2019

Ana Patrícia e Rebecca avançam em Haia. No masculino, Brasil não começa bem

Pedro Solberg e Bruno Schmidt na repescagem. Ricardo e Álvaro Filho eliminados

Um dia de vitórias e derrotas para as duplas brasileiras, nesta sexta-feira, na etapa quatro estrelas de Haia (Holanda), pelo Circuito Mundial de vôlei de praia. Ana Patrícia e Rebecca passaram às quartas de final do torneio, enquanto Pedro Solberg e Bruno Schmidt ficaram em segundo no grupo e disputarão a repescagem.

Ana Patrícia e Rebecca venceram o único jogo que disputaram nesta sexta-feira. Pelas oitavas de final, conseguiram vitória de virada sobre as suíças Joana Heidrich e Anouk Verge-Depre com parciais de 16/21, 21/14, 15/12, mantendo a invencibilidade na Holanda. Neste sábado, elas encaram pelas quartas de final as eslovacas Natalia Dubovcova e Andrea Strbova às 9h30 (de Brasília).

Pedro Solberg e Bruno Schmidt também entram em quadra neste sábado. Eles enfrentam os suíços Kissling/Zandbergen pela repescagem, às 7h (de Brasília). Será o primeiro duelo entre as duas equipes. Em caso de vitória, Pedro/Bruno encara nas oitavas de final os russos Samoday e Myskiv. As quartas de final também serão disputadas no sábado.

Pedro Solberg e Bruno Schmidt avançaram à repescagem com uma vitória e uma derrota na fase de grupos. Eles superaram na estreia os franceses Quincy Aye e Arnaud Gauthier-Rat por 2 sets a 1 (18/21, 22/20, 15/12). Horas depois, valendo o primeiro lugar na chave G, acabaram superados pelos alemães Julius Thole e Clemens Wickler por 2 sets a 0 (21/19, 21/17). Na repescagem, eles encaram os suíços Gabriel Kissling/Michiel Zandbergen.

Ricardo foi eliminado na Holanda (FIVB Divulgação)

Ricardo e Álvaro Filho acabaram eliminados na fase de grupos, ao sofrerem duas derrotas seguidas na chave F. No primeiro jogo do dia, melhor para os italianos Andrea Abbiati e Tiziano Andreatta, que venceram por 2 sets a 0 (21/18, 21/19). Horas depois, derrota dos brasileiros para os finlandeses Jyrki Nurminen e Santeri Siren, por 21/17, 21/18.

Veja também

Fluminense: aposta em elenco alto, jovem e agressivo

Primeiro campeão brasileiro de vôlei feminino, em 1976, e seis vezes campeão sul-americano…