Home Superliga Com salários atrasados, jogadores de Caramuru protestam por solução
Superliga - 22 de janeiro de 2019

Com salários atrasados, jogadores de Caramuru protestam por solução

Atrasos variam entre dois e três meses, criando insatisfação no elenco

Na última rodada da Superliga Cimed masculina, no fim de semana, os jogadores do Caramuru fizeram um protesto contra o atraso nos salários.

Em um saque feito pelo Sesc, os atletas do time paranaense não se mexeram, deixando a bola cair propositalmente. Um indício do tamanho da insatisfação do elenco com os problemas financeiros e da demora para uma solução.

O Web Vôlei falou com um atleta do elenco, que pediu para não ser identificado. Segundo ele, os atrasos salariais variam entre dois e três meses.

– Houve sim um protesto. Foi motivado pelo atraso de salário, um problema que vem acontecendo há alguns meses. Esperamos que tudo se resolva logo, pois isso vem afetando nossa motivação – disse.

Nos últimos dias, os gestores de Caramuru e os atletas se reuniram em busca de soluções. Um novo encontro, no decorrer da semana, deve ser marcado para a definição de um prazo para quitação dos atrasos.

Segundo o Diário de Campos, de Ponta Grossa, Fábio Sampaio, diretor do Caramuru, tem a intenção de passar uma nova posição aos jogadores nesta quarta-feira, após buscar uma solução do impasse com patrocinadores. Segundo o veículo, os salários dos jogadores da equipe variam entre R$ 3,5 mil e R$ 18 mil por mês.

Procurada, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) disse que nenhuma reclamação formal chegou até agora à entidade.

Caramuru no duelo com o Fiat/Minas (Orlando Bento/Divulgação)

Nos últimos anos, a CBV buscou endureceu com clubes devedores, após reclamações de atletas. Um item de fair play financeiro foi incluído no regulamento da Superliga, na temporada 2017/2018, exigindo que um documento assinado por todos os atletas e integrantes da comissão técnica seja enviado para a entidade comprovando que todos os pagamentos de salários foram feitos. Quem não entrega a declaração não tem a inscrição aceita para a competição do ano seguinte.

Caramuru ocupa a penúltima colocação na Superliga 2018/2019, com oito pontos (duas vitórias em 13 jogos) e hoje seria rebaixado ao lado do São Judas, lanterna com quatro.

O próximo compromisso do time será no próximo dia 30, contra o Sesi, na Vila Leopoldina, em São Paulo, com transmissão pelo site do Globo Esporte. E um novo protesto dos jogadores não está descartado caso a situação não seja resolvida.

LEIA TAMBÉM

+ Alexandre Oliveira, um campeão da Superliga antes de cobrir vôlei pelo SporTV

+ Um bate-papo com o levantador Marlon, 41 anos, destaque do Fiat/Minas

+ Copel Telecom/Maringá volta a quebrar recorde de público da Superliga

Veja também

Brasil e França empatam em jogo-treino

As seleções masculina de Brasil e França disputaram um jogo-treino em Montpellier, nesta q…