Home Superliga Paulo Coco, Fabiana, Fê Garay e Kosheleva falam sobre o clássico eletrizante
Superliga - 12 de janeiro de 2019

Paulo Coco, Fabiana, Fê Garay e Kosheleva falam sobre o clássico eletrizante

Para o técnico Paulo Coco, do Dentil/Praia Clube, acredita que a boa entrada das jogadoras do banco de reservas e o o bloqueio fizeram a diferença na vitória do seu time sobre o Sesc RJ, por 3 sets a 1 – parciais de 20/25, 25/16, 25/23 e 26/24), na noite desta sexta-feira, na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, no encerramento do turno da Superliga Cimed Feminina 2018/2019.  Foram 20 pontos nesse fundamento. O resultado manteve o time do Triângulo Mineiro na liderança isolada da competição, com 30 pontos (10 vitórias e 1 derrota). Já a equipe do técnico Bernardinho, amargou sua quarta derrota no torneio e caiu da terceira para a quinta posição.

– Marcamos 20 pontos de bloqueio e foi o grande diferencial. Foi um jogo brigado, como a gente achou que iria ser mesmo. A Kosheleva estava impossível, virando bolas no triplo. Mas, o nosso time se encontrou, esteve bem no sistema defensivo, como treinamos. A Michelle virou uma bola importantíssima no 24 a 22 (no quarto set, quando o Sesc tinha o set point), mostrando que temos um grupo forte, que briga por todos os pontos, um elenco preparando, não só o time titular. O banco entrou bem. A Carli (Lloyd, levantadora norte-americana) estava sentindo dores nas costas, pediu para sair. A Ananda entrou um pouco nervosa, mas foi bem. A Fabiana ainda se recupera de uma lesão, estamos tendo de lidar com esses problemas – disse o treinador do Praia.

Gabi no ataque na Arena Minas (Orlando Bento/Divulgação)

Autora do último ponto, de bloqueio, em cima de Kasiely, a central Fabiana, que vem se recuperando de uma lesão no joelho direito e desfalcou o time nas rodadas anteriores, comemorou a vitória:

– Fico feliz de ajudar minha equipe. Estou passando por um processo de recuperação e não é fácil ficar de fora, é chato. Agora, é pensar na minha recuperação.

A oposto russa Kosheleva, do Sesc RJ, fez uma partida primorosa, mas lamentou a derrota:

– Não consigo ficar feliz, apesar de ter feito uma boa partida, porque meu time perdeu. Cometemos muitos erros. Mas essa equipe pode chegar mais longe na competição.

Kosheleva foi a melhor jogadora do Sesc RJ (Divulgação)

A ponteira do Praia, Fernanda Garay, enalteceu o primeiro turno do time, que participou do Mundial de Clubes em dezembro e sentiu o cansaço pelo excesso de jogos e viagens.

– Esse jogo foi emoção o tempo inteiro. Tivemos um primeiro turno muito difícil, de muitas viagens, mas fico feliz por termos conquistado os três pontos hoje. A gente teve a oportunidade de mostrar o quanto nosso time é coletivamente forte, principalmente nos momentos decisivos – disse Garay.

LEIA MAIS: 

Copa Brasil Feminina: saiba o que ainda pode mudar nos cruzamentos

Minas vence o Curitiba e segue invicto na Superliga

Osasco/Audax bate o BRB/Brasília e mantém bom momento na competição

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…