Home Superliga Em jogo emocionante, Osasco/Audax vira e vence Sesc RJ no tie-break
Superliga - 23 de fevereiro de 2019

Em jogo emocionante, Osasco/Audax vira e vence Sesc RJ no tie-break

Com 33 pontos, Hooker foi o grande nome do jogo e ficou com o VivaVôlei

Diante de um José Liberatti em êxtase e com o último ponto de bloqueio marcado pelo grande destaque da partida – a oposto norte-americana Hooker -, o Osasco/Audax derrotou o rival Sesc RJ por 3 sets a 2, de virada – parciais de 25/23, 22/25, 21/25, 25/23 e 15/9 -, na noite desta sexta-feira, em Osasco (SP), pela oitava rodada do returno da Superliga Cimed Feminina 2018/2019.

Com o resultado, as paulistas se mantiveram na quinta colocação, com 33 pontos (11 vitórias e 7 derrotas) – e um jogo a menos, contra o Fluminense, adiado da quarta rodada do returno, que vai acontecer no dia 12 de março, no Ginásio do Hebraica, no Rio. A equipe carioca segue em terceiro – com 38 pontos (6 derrotas e 13 vitórias) – atrás do líder Itambé/Minas, que tem 50, e do vice-líder Dentil/Praia Clube, com 47.

Bernardinho começou o jogo com a ponteira Drussyla – que está voltando aos poucos ao time, depois ficar quatro meses parada por conta de uma fratura por estresse no tornozelo – na equipe titular, no lugar da russa Kosheleva, poupada, com dores no joelho. A russa, no entanto, entrou no final do quarto set e jogou também o tie-break.

Hooker comandou a vitória e foi a maior pontuadora do jogo com 33 pontos (29 de ataque e 4 de bloqueio) e levou o Troféu VivaVôlei. Pelo Sesc RJ, o destaque foi a central Bia, com 19 pontos (10 de ataque, 6 de bloqueio e 1 de saque). Juciely, Monique e Drussyla marcaram 15 pontos cada uma.

Block carioca tenta parar Hooker (Marcello Zambrana/Fotojump)

– Eu considero o time de Osasco a minha casa no Brasil. E receber esta energia contagiosa da torcida é algo muito gratificante. A gente entra em quadra e se dedica ao máximo – contou Hooker.

Terça-feira, o Sesc RJ recebe o Itambé/Minas, às 21h, na Arena Jeunesse, no Rio de Janeiro (RJ), com transmissão pelo Canal Vôlei Brasil, pela nona rodada do returno. O Osasco tem pela frente o Dentil Praia/Clube, às 19h30, na Arena do Praia, em Uberlândia (MG), sem transmissão.

O jogo

O primeiro set foi equilibrado até o oitavo ponto, mas Osasco, em um erro de recepção do Sesc e dois bons contra-ataques, com Hooker e Walweska, abriu 11 a 8 no placar, obrigando Bernardinho a pedir tempo. As donas da casa ampliaram em 15 a 9, mantendo uma boa regularidade no passe e nos contra-ataques com Mari Paraíba e Leyva. Num bloqueio de Walweska sobre Monique, as anfitriãs fizeram 16 a 9.

Com um saque mais agressivo e bem no bloqueio, o Sesc diminuiu a diferença para 17 a 14 e foi a vez de Luizomar de Moura parar o jogo para conversar com as suas jogadoras. Na volta, Osasco aumentou a vantagem para 19 a 14, mas viu novamente o time carioca encostar em 20 a 18, com dois bons bloqueios de Bia pelo meio. Bernardinho colocou Kasiely no lugar da Peña. O Sesc diminuiu ainda mais a diferença (21 a 20). Em um ace da Bia, a equipe do Rio empatou: 21 a 21. Em um contra-ataque com Hooker, Osasco fez 24 a 22 e teve o set point. Bernradinho pediu tempo e o Rio diminuiu com Monique pela ponta (24 a 23), mas Hooker fechou o set em uma largadinha por trás do bloqueio, fazendo 25 a 23 na parcial, e 1 a 0 na partida.

Mari encara Bia e Roberta (Marcello Zambrana/Fotojump)

O Sesc voltou mais ligado no segundo set e abriu logo 3 a 0, ampliando para 5 a 1, beneficiado pela queda no rendimento do passe adversário. Osasco conseguiu equilibrar o fundo de quadra e diminuiu a diferença para 9 a 8. Mas, as donas da casa voltaram a errar e, em boa passagem de Monique no saque, voltou a abrir boa frente: 12 a 8. Luizomar pediu tempo, mas não adiantou. Monique continuou no saque e aumentou para 14 a 8. Paula Pequeno entrou no lugar de Leyva e, em um contra-ataque, Mari Paraíba virou para as anfitriãs, tirando Monique do saque (14 a 9). O Sesc segui em ritmo avassalador, amortecendo os ataques rivais e pontuando nos contra-ataques. Dessa forma, chegou rapidamente a 16 a 9 e Luizomar parou o jogo novamente.

O Sesc seguiu comandando o placar, mas aos poucos, Osasco foi diminuindo a diferença, com a boa presença do bloqueio que, quando não matava o ponto, amortecia os ataques adversários para Hooker colocar no chão. Nesse ritmo, o time de Luizomar de Moura encostou (22 a 21), embalado pelos gritos de “Vamos virar Osasco”.  Após boa passagem pelo saque, Mari Paraíba errou, dando o 23º ponto para as rivais. Em um erro de passe de Paula Pequeno, Osasco teve de passar a bola de graça e Bia, na China com Roberta, não perdoou, fazendo o Sesc chegar ao set point. Novamente na china com Bia, o Sesc fechou o set em 25 a 22 e empatou a partida em 1 a 1.

O Sesc disparou outra vez no início do terceiro set, fazendo 11 a 6, se valendo do fato de Osasco não conseguir virar suas bolas de side out. Paula Pequeno foi mantida no time titular, no lugar de Leyva. Luizomar parou o jogo e pediu tranquilidade. Em uma passagem eficiente de Mari Paraíba no saque, no entanto, as paulistas encostaram, diminuindo a vantagem rival para 11 a 10. Peña atacou pela ponta fazendo 12 a 10 e, em erro de passe de Osasco, as cariocas ampliaram: 13 a 10. Osasco diminuiu com Paula Pequeno o jogo voltou a ficar equilibrado. Em um erro de ataque da Peña, da linha dos três, Osasco empatou em 14 a 14, levando o ginásio à loucura.

Ataque de Drussyla em Osasco (Marcello Zambrana/Fotojump)

As donas da casa, ainda inconstantes na virada da primeira bola, deixaram novamente o Rio abrir frente no marcador: 17 a 14. Luizomar pediu tempo de novo. O Rio seguiu comandando o placar, abrindo cinco pontos de vantagem. Em um bloqueio de Walewska sobre Peña, a diferença diminuiu novamente: 21 a 19. Mari Paraíba errou o saque o Rio voltou a ficar três pontos à frente. Nesse ritmo, o time do técnico Bernardinho manteve a frente e fechou o segundo set em 25 a 21, virando o jogo em 2 sets a 1.

Osasco comandou o quarto set até o oitavo ponto, mas deixou o Rio abrir dois pontos em dois erros consecutivos, obrigando Luizomar a pedir tempo. A parada deu certo. Com bom saque e firmeza nos contra-ataques, as donas da casa viraram: 12 a 10. E foi a vez de Bernardinho parar a partida. Não adiantou. Mari Paraíba, bem no saque, aumentou a vantagem. Com dois pontos de bloqueio de Hooker sobre Peña, Osasco abriu para 15 a 10.

Bernardinho sacou Peña e colocou Kosheleva em quadra. Peña, com dois bons saques e dois erros de ataque de Hooker fez a diferença cair para 15 a 14. Luizomar pediu o seu segundo tempo, o time recuperou a calma e voltou melhor, fazendo 19 a 15. Bernardinho parou o jogo e deu certo. Bia, na sequência, fez dois aces, diminuindo a vantagem para 19 a 17. O Sesc voltou a encostar: 20 a 18. Mas, em boa passagem de Natasha, as paulitas fizeram 24 a 19. As cariocas venderam caro o último ponto. Juciely sacou bem e a diferença voltou a cair: 23 a 24. Em um erro de levantamento de Kasiely, que colou muito a bola na rede para Monique, Lorenne barrou o ataque rival e Osasco fechou em 25 a 23, empatando tudo no José Liberatti: 2 a 2.

Osasco começou o tie-break avassalador, fazendo 7 a 1. Mas, aos poucos o Sesc reagiu e diminuiu para 7 a 4, após um bloqueio sobre Paula Pequeno e um erro de ataque de Hooker. Luizomar pediu tempo. As donas da casa mantiveram a boa vantagem: 10 a 6. Osasco não conseguia virar as bolas, mas deu sorte porque o Rio errou dois contra-ataques seguidos com Kosheleva e Monique. Mal no passe, o Sesc não conseguia virar as bolas. Kosheleva levou cartão vermelho por reclamação e deu um ponto de graça para o rival. Com Hooker impossível, Osasco foi ampliando a vantagem. Em um bloqueio da norte-americana, as anfitriãs fecharam o set em 15 a 9 e garantiram a vitória, de virada, por 3 sets a 2.

Osasco/Audax: Claudinha, Hooker, Walewska, Nati Martins, Mari Paraíba, Leyva e Camila Brait (líbero). Entraram: Carol Albuquerque, Lorenne, Natasha, Paula Pequeno e Kika.

Técnico: Luizomar de Moura

Sesc RJ: Roberta, Monique, Bia, Juciely, Drussyla, Peña e Gabiru (líbero). Entraram: Carol Leite Kasiely, Jéssica, Vitória (líbero) e Kosheleva.

Técnico: Bernardinho

LEIA TAMBÉM

EMS/Taubaté anuncia Renan Dal Zotto como técnico

Boskovic se destaca em difícil vitória do Eczacibasi na Champions

Um papo com o campeão olímpico Bruno Schmidt

SporTV define transmissões dos Sul-Americanos

Mundiais de Clubes com formatos diferentes em 2019

Veja também

Monza tenta se firmar entre os grandes

Vice-campeão da última liga italiana, o Monza promete brigar em todas as frentes na tempor…