Home Copa Brasil Itambé/Minas vence o Osasco/Audax e pega o Praia na final da Copa Brasil
Copa Brasil - 2 de fevereiro de 2019

Itambé/Minas vence o Osasco/Audax e pega o Praia na final da Copa Brasil

Assim como na Copa Brasil Masculina, a final da versão feminina da competição será mineira. Se Fiat/Minas e Sada/Cruzeiro decidiram o torneio dos homens, no final da semana passada, em Lages (SC), com a vitória do time cruzeirense, dessa vez Itambé/Minas e Dentil/Praia Clube vão medir forças pelo título inédito para ambas as equipes.

As minastenistas garantiram a vaga com a vitória por 3 sets a 1 – parciais de 25/21, 17/25, 25/22 e 25/16 -, sobre o Osasco/Audax, no Ginásio Perinão, em Gramado (RS), enquanto o time de Uberlândia passou pelo Sesi/Bauru por 3 sets a 2, de virada – parciais de 24/26, 25/21, 25/14, 21/25 e 15/11. 

A ponteira Natália, do Minas, foi a maior pontuadora do confronto, com 17 pontos. é o atual campeão da Copa Brasil – derrotou o Praia Clube na final de 2018, em Lages (SC) – e tentava o quarto título da competição.

A final será neste sábado, a partir das 21h30, com transmissão pelo SporTV 2. A partida coloca frente a frente os dois times que disputaram o Mundial de Clubes da China, em dezembro do ano passado – o Minas foi vice-campeão e o Praia, quarto colocado – e também os dois primeiros colocados da Superliga Cimed 2018/2019. As duas equipes estão empatados, com campanhas muito parecidas, ambas com 38 pontos (13 vitórias e 1 derrota), mas as comandadas pelo técnico Paulo Coco levam vantagem no saldo de sets.

Oasco/Audax é o atual campeão da Copa Brasil (Carlos Borges/Divulgação)

O jogo

Sem Mayany, que ficou em Belo Horizonte para tratar de uma infecção renal, o técnico Stefano Lavarini começou com a central Mara no time titular. O jogo foi marcado por muitos erros e altos e baixos por parte dos dois times.

Em uma boa passagem de Walewska pelo saque, Osasco abriu logo 6 a 3 no primeiro set, com três pontos consecutivos de Hooker. Instável no passe, o Minas não conseguia virar as bolas de segurança. Osasco manteve o bom ritmo e abriu ainda mais, em 11 a 6. As mineiras diminuíram os erros e o jogo se reequilibrou em bons contra-ataques com Mara bem no bloqueio. O jogo ficou empatado em 13 a 13, mas em um bom contra-ataque com Hooker as paulistas fizeram 15 a 13.

O Minas empatou em um contra-ataque na largadinha de Gabi. No ponto seguinte, um choque entre Natália e Mara tirou a central temporariamente de quadra para tratar do choque no pescoço. Geórgia foi para o saque e virou o jogo para o Minas, fazendo 17 a 16.  As mineiras abriram quatro pontos com erros de Naty, Leyva e Mari Paraíba, em sequência, fazendo 23 a 19. Carol Albuquerque foi para o saque e fez um ace, em cima da Natália, fazendo a diferença cair para dois pontos: 23 a 21. Em um dois toques da Walewska, após defesa de Carol Albuquerque, o Minas fechou em 25 a 21.

Itambé/Minas busca o inédito título da Copa Brasil (Carlos Borges/Divulgação)

Osasco comandou o segundo set do início ao fim. Mari Paraíba teve boa passagem no saque e o time paulista abriu rapidamente 8 a 1 com Hooker novamente inspirada e 4 erros seguidos do Minas. As mineiras seguiram inconstantes no ataque e fizeram 11 a 2. Lavarini tirou Macris e colocou Bruninha em quadra para tentar mudar o ritmo do jogo.  As mineiras esboçaram uma reação e diminuíram a diferença para 14 a 8. O placar chegou a 16 a 8 e dos 16 pontos do time paulista, 8 foram em erros do Minas. Osasco manteve a boa vantagem e o Minas seguiu errando. O jogo foi tecnicamenteruim, com as duas equipes desperdiçando contra-ataques. A oposto do Minas, Bruna Honório, muito mal nos contra-ataques, foi substituída por Malu. Em um ataque de Naty, a equipe paulista fechou o set em 25 a 17, empatando a partida.

A situação se inverteu no quarto set e quem começou arrasador foi o Minas e quem abusou dos erros foi Osasco. A equipe mineira abriu 10 a 3, obrigando Luizomar de Moura a pedir dois tempos nesse período. Em uma boa passagem no saque, Osasco reagiu e diminuiu a diferença para 12 a 11. O Minas voltou a pontuar com Carol Gattaz, duas vezes e reequilibrou a relação bloqueio-defesa aproveitando os contra-ataques. O Minas abriu 21 a 16 e manteve a frente. Osasco chegou a diminuir no final mas, em um ataque da Natália, as minastenistas fecharam em 25 a 22.

Osasco abriu 3 a 0 rapidamente, com Mari Paraíba no saque. O Minas reagiu, aproveitando os contra-ataques e empatou em 5 a 5. Osasco manteve o saque agressivo, conseguindo amortecer as bloqueios do Minas, pontuando nos contra-ataques. Dessa forma, chegou a 8 a 6. Mas, em dois bloqueios seguidos, as mineiras viraram empataram em 9 a 9 e na sequência viraram para 11 a 9.  As mineiras passaram a aproveitar melhor os contra-ataques com Natália e Bruna Honório, que melhorou em relação aos três primeiros sets. Colocando bolas importante no chão, o time de Lavarini fez 18 a 12. O Minas manteve a boa vantagem e fechou o quarto set em 25 a 16.

Itambé Minas – Macris, Bruna, Natália, Gabi, Mara e Carol Gattaz. Líbero – Léia
Entraram – Geórgia, Bruninha, Malu, Lana,
Técnico – Stefano Lavarini

Osasco-Audax – Carol Albuquerque, Hooker, Mari Paraíba, Leyva, Walewska e Nati Martins. Líbero – Camila Brait
Entraram – Kika, Lorenne, Claudinha, Natasha e Paula Pequeno
Técnico – Luizomar de Moura

Histórico da Copa Brasil

Esta é a sexta edição da Copa Brasil. As duas primeiras edições, em 2007 e 2008, tiveram o Rexona-Ades (RJ) e Finasa/Osasco (SP) como campeões, respectivamente. O torneio voltou a ser disputado em 2014, e esta será a quinta edição consecutiva. Na última edição, vitória do Vôlei Nestlé (SP) sobre o Dentil/Praia Clube (MG) (veja todos os campeões abaixo).

TODOS OS CAMPEÕES DA COPA BRASIL FEMININA:   
2007 – Rexona-Ades (RJ), em Brusque (SC)
2008 – Finasa/Osasco (SP), em Curitiba (PR)
2014 – Molico/Nestlé (SP), em Maringá (PR)
2015 – E.C Pinheiros (SP), em Cuiabá (MT)
2016 – Sesc-RJ, em Campinas (SP)
2017 – Sesc-RJ, em Campinas (SP)
2018 – Vôlei Nestlé, em Lages (SC)

Quartas de final

22.01 (TERÇA-FEIRA) – Dentil/Praia Clube (MG) 3 x 1 Curitiba Vôlei (PR), às 19h30, no Praia Clube, em Uberlândia (MG) (20/25, 25/22, 25/18 e 25/15)

22.01 (TERÇA-FEIRA) – Minas Tênis Clube (MG) 3 x 1 Fluminense (RJ), às 20h, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG) (25/22, 25/17, 22/25 e 25/16)

22.01 (TERÇA-FEIRA) – Hinode Barueri (SP) 1 x 3 Osasco-Audax (SP), ás 19h30, no José Correa, em Barueri (SP) (25/19, 25/19, 25/21 e 25/20)

22.01 (TERÇA-FEIRA) – Sesi Vôlei Bauru (SP) 3 x 2 Sesc RJ, às 19h30, no Ginásio Municipal Neusa Galetti, em Marília (SP) (25/13, 16/25, 25/20, 20/25 e 15/13)

Semifinal

01.02 (SEXTA-FEIRA) – Dentil/Praia Clube 3 x 2 Sesi Vôlei Bauru, às 19h30, no Perinão, em Gramado (RS) – SPORTV 2 (24/26, 25/21, 25/14, 21/25 e 15/11)

01.02 (SEXTA-FEIRA) – Minas Tênis Clube 3 x 1 Osasco-Audax, às 21h30, no Perinão, em Gramado (RS) – SPORTV 2 (25/21, 17/25, 25/22 e 25/16)

Final

02.02 (SÁBADO) – Vencedor do jogo 5 x Vencedor do jogo 6, às 21h30, no Perinão, em Gramado (RS) – SPORTV 2

LEIA TAMBÉM:

Minas Gerais prestes a ser anunciada como sede do Pré-Olímpico

Minas anuncia patrocínio da Itambé na Copa Brasil

Com infecção renal, Mayany está fora da Copa Brasil

Se tivesse essa cabeça há 10 anos, minha história no vôlei teria sido outra

 

Veja também

Rússia convocada com Kosheleva e Goncharova

A seleção russa feminina foi convocada, nesta segunda-feira, para o início dos treinamento…