Home Superliga Semifinal da Liberta entre Sesi SP e Sesc RJ terá seis campeões olímpicos em quadra
Superliga - 11 de fevereiro de 2019

Semifinal da Liberta entre Sesi SP e Sesc RJ terá seis campeões olímpicos em quadra

Confronto será nesta terça-feira, às 19h, com transmissão pelo SporTV 2

Vale vaga na decisão da Copa Libertadores 2018/2019. O Sesc RJ entra em quadra na noite desta terça-feira, dia 12, para medir forças com o Sesi SP a partir das 19h, no Ginásio do Abaeté, na primeira semifinal da competição, com transmissão ao vivo pelo canal SporTV 2 – a outra partida será entre o anfitrião Taubaté e o Bolívar (ARG), a partir das 21h e também com transmissão pelo SporTV.

Para o confronto contra os paulistas, o técnico do Sesc RJ, Giovane Gávio, terá força máxima – Thiago Barth e o búlgaro Penchev já atuaram contra São Judas Voleibol -, o que aumenta a confiança em busca de um resultado positivo para chegar à final da competição.

Sesc RJ é o quarto colocado na Superliga 2018/2019 (Divulgação)

– É importante ter todos em condições de jogo, alguns estão voltando de contusão, jogadores que dão ainda mais corpo ao time, além do Borges, que vem recuperando o melhor ritmo. Isso aumenta nosso poder em quadra, aumenta a confiança e vamos mais fortes para esse jogo contra o Sesi SP. Temos trabalhado pesado para ter o time jogando melhor, crescendo a cada partida, e a oportunidade de disputar um título é algo que motiva muito – afirmou o técnico.

São equipes se conhecem bem. E de alta qualidade: metade da Seleção Brasileira medalhista de ouro nas Olimpíadas 2016 estará em quadra. Pelo lado do Sesc RJ, três campeões olímpicos (Wallace, Maurício Borges e Maurício Souza). Pelo lado do Sesi SP, outros três (William, Lipe e Eder). Expectativa de muito equilíbrio.

– Sesc RJ e Sesi SP são equipes muito fortes, com jogadores experientes, acostumados a esse tipo de jogo, a enfrentar pressão. É uma semifinal, vale vaga na decisão, e vai vencer quem errar menos, errar pouco. É um daqueles confrontos que se decide em detalhes. Precisamos entrar muito concentrados, ter um bom passe e jogar com inteligência no ataque para sair com a vitória e lutar pelo título – afirmou Wallace, maior pontuador da Superliga Cimed 2018-2019 com 240 pontos.

Criado para ser um campeonato altamente competitivo, o torneio, uma iniciativa da Associação de Clubes da Liga Argentina de Vôlei (ACLAV) e da Associação de Clubes de Voleibol Brasileira (ACV), e aprovada pela Confederação Sul-Americana de Voleibol (CSV), contou nesta primeira edição com dois grupos. Pelo Brasil foram inscritas as quatro melhores equipes da última Superliga (Sada Cruzeiro, Sesi-SP, Sesc-RJ e EMS Taubaté Funvic), e os quatro melhores clubes argentinos (UPCN, Bolivar, Ciudad Voley e Libertad).

O Sesi SP é o vice-líder da Superliga 2018/2019 (Divulgação)

Para o ponteiro Lucas Lóh, do Sesi-SP, toda atenção será válida contra o adversário. Independentemente de qualquer cenário atual, a chave virou, a competição é outra e tudo pode acontecer.

– Momentos de altos e baixos não podem ser levados em conta. Na verdade, são nesses momentos difíceis que os times costumam buscar soluções, reagir e crescer. Temos que nos atentar a isso e entrar mais focados ainda. Toda equipe é movida a títulos, e com a gente não é diferente. Conquistar a Libertadores seria um combustível a mais para seguirmos crescendo na temporada – comentou o ponteiro.

LEIA TAMBÉM

Cai invencibilidade do Zenit Kazan na Rússia

Coluna: Os sonhos interrompidos no Flamengo

Mundo do vôlei se solidariza com tragédia no CT do Flamengo

Entrevista exclusiva com a russa Kosheleva

Minas Gerais prestes a ser anunciada como sede do Pré-Olímpico

Veja também

Acidente aéreo: atleta da base do Sesi Bauru perde irmão

Um acidente aéreo, na manhã deste domingo, em Tocantins, matou quatro jogadores, o preside…