Home Superliga Sesc se vinga do Sesi Bauru após queda na Copa Brasil
Superliga - 5 de fevereiro de 2019

Sesc se vinga do Sesi Bauru após queda na Copa Brasil

Eliminado pelo Sesi Bauru nas quartas de final da Copa Brasil, no mês passado, o Sesc deu o troco nesta terça-feira.

Pela quarta rodada da Superliga Cimed feminina, vitória carioca sobre as paulistas, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru, por 3 sets a 1, parciais de 25-13, 23-25, 26-24 e 25-18.

O resultado manteve o Sesc na quarta colocação, agora com 31 pontos, apenas um atrás do Hinode/Barueri. Já Bauru começa a se distanciar do grupo de cima. Com 23 pontos, o atual campeão paulista soma 23.

A central Bia ganhou o Troféu VivaVôlei. Foram 13 pontos marcados, cinco deles no bloqueio. A maior pontuadora da equipe dirigida por Bernardinho foi Juciely, com 16. Pelo Sesi Bauru, Tifanny e Valentia Diouf também fizeram 16 e 13, respectivamente.

– Nosso time veio preparado para uma grande partida. Vínhamos de derrota para elas, inclusive. Era um adversário direto na classificação, por isso os três pontos são importantes – comentou Bia, que disse estar satisfeita após a quarta vitória seguida no returno.

– Estamos em constante evolução. O ano começou com a Kosheleva se recuperando, eu e Roberta chegando da Seleção, perdemos a Drussyla… O time estava errando muito, com altos e baixos. Mas começamos a nos cobrar, buscar regularidade, errar menos. O time está longe do ideal, mas vai crescendo.

Bia foi a melhor do jogo (Divulgação)

O jogo em Bauru foi marcado uma quantidade enorme de erros. No primeiro set, por exemplo, o time da casa abriu 5 a 1. Na sequência, viu o Sesc marcar 15 pontos, enquanto o Bauru anotou apenas um, fazendo a parcial ir para 16 a 6. Anderson Rodrigues já vem reclamando demais da quantidade de falhas da equipe nas últimas rodadas. Após a partida, a central Valquíria reforçou o discurso.

– Erramos muito. Nosso passe não conseguiu jogar. E ficar jogando com bolão, contra um time do bloqueio forte, dá nisso. Nossos erros estão acabando com a gente. Enquanto não acharmos o equilíbrio, fica difícil contra times assim. Precisamos ter calma, ouvir as instruções do Anderson e da comissão técnica, nivelar o jogo sempre por cima, não por baixo, contra grandes times como o Sesc.

LEIA TAMBÉM

Vídeo do novo game Spike Volleyball

Coluna: calendário do vôlei precisa ser discutido

Entrevista exclusiva com a russa Kosheleva

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…