Home Destaques Em vídeo, Bernardinho é flagrado chamando Tifanny de “homem” e provoca polêmica
Destaques - Superliga - 27 de março de 2019

Em vídeo, Bernardinho é flagrado chamando Tifanny de “homem” e provoca polêmica

Vídeo foi publicado nesta quarta-feira pelo Angels Volley Brasil, que defende a causa LGBTQ

Em vídeo publicado nesta quarta feira pelo perfil do Angels Volley Brasil no Instagram @angelsvolley – que defende a causa LGBTQ e a inclusão social por meio do esporte -, o técnico do Sesc RJ Bernardinho aparece chamando a ponteira do Sesi/Bauru Tifanny de “homem”. (Confira o vídeo no perfil do webvolei no Instagram @webvolei).

A jogadora é a primeira atleta trans a disputar a Superliga. No vídeo, que mostra um momento em que Tifanny ataca durante a partida da última terça-feira, no Ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro (RJ), pelo terceiro jogo das quartas de final da competição, não dá para ouvir a voz do treinador, mas é possível identificar, por meio de leitura labial, que ele fala “Um homem, é foda”.

“Hoje era para ser um dia feliz para comunidade LGBTQI! Tifanny esta tendo uma bela segunda temporada de aceitação, onde a grande maioria finalmente entendeu que ela é uma mulher boa jogadora com dias bons e dias ruins como várias outras! Hoje ela e todo time do Bauru jogaram bem, algo que não aconteceu no jogo anterior, e mereceram a vitória classificatória na bola em quadra! Porém foi triste ouvir da boca de um técnico referência mundial, bicampeão olímpico, recordista em prêmios de Superliga que ela era um homem! “Um homem! É foda!” Transfóbicos e homofóbicos não vão passar sem serem apontados na nossa página! Pode ser o papa do vôlei… Vamos desmascarar todos! Parabéns para o time feminino do Vôlei Bauru, mulheres incríveis que ganharam jogando por merecimento e sem nenhuma vantagem!”, escreveu o Angels Volley Brazil.

Bernardinho se desculpou e parabenizou o Sesi/Bauru pela conquista da vaga na semifinal: “Peço desculpas, mas não foi minha intenção ofendê-la, me referi ao gesto técnico e a capacidade física de realizá-lo, o que ela tem mais do que a maioria das atletas”, disse o técnico do Sesc RJ.

“Parabéns sinceros a ela pela grande atuação e conquista e mais uma vez sinto muito se deixei essa impressão. Não era a minha intenção!”, continuou o treinador.

A equipe carioca perdeu o jogo por 3 sets a 1 e foi eliminada da Superliga Feminina nas quartas de final. O Sesi vai enfrentar o atual campeão da Superliga, Dentil/Praia Clube, na semifinal, em novo playoff melhor de três.

LEIA TAMBÉM

+ Sesi-SP faz história, bate o Sesc RJ e vai pegar o Praia na semifinal

+ Com 34 pontos de Hooker, Osasco/Audax vence em Barueri e está na semi

Sassá vai ao clássico no Maracanã com a blusa do Fla e torcida do Flu não perdoa

Definidos os playoffs do Italiano Masculino

Com 17/15 no tie-break, Sada/Cruzeiro bate o Copel Telecom/Maringá no Riachão

EMS/Taubaté vence o Vôlei Renata e abre 1 a 0 nas quartas de final

Com uma virada espetacular, Osasco bate o Barueri e força o terceiro jogo

+ Itália domina semifinais da Champions, com quatro dos oito times classificados

Bruninha cai no choro depois do jogo e é consolada por Lavarini

Vídeo Challenge confirmado nas quartas de fina da Superliga Masculina

+ Com direito a 25/8, Vakifbank elimina time de Goncharova na Champions

Thaisa comemora vitória e o milésimo ponto de bloqueio na Superliga

Clubes se reúnem e querem que Libertadores classifique o campeão ao Mundial

Veja a tabela das quartas de final da Superliga Feminina

Fawcett na mira de clube italiano

Clubes femininos optam por manutenção do ranking para 2020

Sander, destaque do Sada/Cruzeiro, recebe propostas do exterior

Egonu desequilibra na Champions, Novara vence e anuncia técnico

 

Veja também

Fluminense: aposta em elenco alto, jovem e agressivo

Primeiro campeão brasileiro de vôlei feminino, em 1976, e seis vezes campeão sul-americano…