Home Fora de Quadra Fabi e Aída participam de debate sobre mulheres no esporte, promovido pelo COB
Fora de Quadra - 26 de março de 2019

Fabi e Aída participam de debate sobre mulheres no esporte, promovido pelo COB

Ao lado da bicampeã olímpica Fabi, Aída, a única mulher brasileira nos Jogos de Tóquio 64 contou sua história de superação

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) abriu suas portas para uma ilustre visitante na última segunda-feira. Aída dos Santos, única representante feminina na delegação brasileira dos Jogos Olímpicos de Tóquio 64, participou de um debate com o tema “Mulheres no Esporte”.
Ao lado da bicampeã olímpica de vôlei, Fabi Alvim, e da gerente de projetos da ONU Mulheres, Carolina Ferracini, a ex-atleta de 82 anos contou sua história de superação e resistência de uma época em que as mulheres sofriam bastante preconceito no esporte.
Mesmo depois de 55 anos, as lembranças dos Jogos Olímpicos de Tóquio estão frescas na memória de Aída. Ela detalhou as dificuldades enfrentadas antes e durante a competição. Sentindo-se sozinha dentro da delegação nacional, sem técnico, equipamentos adequados para competir e com dificuldade de comunicação em outro idioma, Aída engoliu o choro para alcançar 1,74m e terminar a competição na quarta colocação do salto em altura. Nem mesmo uma torção no pé nas eliminatórias foi capaz de segurar a brasileira. O resultado de Aída se perpetuou por mais de 30 anos, até Pequim 2008, como o melhor desempenho individual de uma brasileira na história dos Jogos Olímpicos.
Fabi e Aída, que é mãe da campeã olímpica Valeskinha, central que disputou a última superliga pelo BRB/Brasília (Divulgação)
– Ser mulher no esporte era muito difícil. Ainda mais sendo negra e pobre. Meus pais não entendiam e não queriam que eu praticasse esporte. Quando ganhei minha primeira medalha, meu pai jogou ela fora porque eu não trouxe dinheiro para casa. Foi duro, mas insisti – recordou Aída, que continua atleta. Atualmente, joga vôlei na seleção máster do Brasil, modalidade que a filha Valeskinha conquistou a medalha de ouro olímpica em Pequim-2008.
O evento desta segunda destacou a evolução das mulheres em diversos segmentos do esporte. Hoje, o COB conta em sua estrutura com 128 mulheres e 108 homens. Nos cargos de liderança, 43,5% são ocupados por mulheres. Além disso, em parceria com a ONU Mulheres, a entidade elaborou uma Política de Prevenção e Enfrentamento ao Assédio Moral e Sexual no esporte. Outro fato a ser celebrado foi a bem-sucedida missão 100% liderada por mulheres, que retornou dos Jogos Sul-americanos de Praia Rosário 2019 com 26 medalhas.
– Escutar Aída dos Santos é um privilégio. Quem é apaixonado por esporte a tem como precursora e grande representante feminina nos Jogos Olímpicos. Hoje não tem nem como comparar, é um cenário completamente diferente. A busca por evoluir, por mais mulheres participando, é diária. Para entender de onde viemos e onde chegamos, devemos toda inspiração e reverência a atletas como Aída dos Santos – exaltou Fabi, medalha de ouro em Pequim 2008, atuando ao lado de Waleskinha, e Londres 2012.
(Rafael Bello/COB/Divulgação)

LEIA TAMBÉM

Sassá vai ao clássico no Maracanã com a blusa do Fla e torcida do Flu não perdoa

Definidos os playoffs do Italiano Masculino

Com 17/15 no tie-break, Sada/Cruzeiro bate o Copel Telecom/Maringá no Riachão

EMS/Taubaté vence o Vôlei Renata e abre 1 a 0 nas quartas de final

Sesc RJ passeia sobre o Sesi/Bauru e adia decisão para terça-feira

Com uma virada espetacular, Osasco bate o Barueri e força o terceiro jogo

+ Itália domina semifinais da Champions, com quatro dos oito times classificados

+ Itambé/Minas vence o Curitiba e se classifica para as semifinais

Bruninha cai no choro depois do jogo e é consolada por Lavarini

Dentil/Praia Clube derrota o Flu, faz 2 a 0 na série e está na semifinal

Vídeo Challenge confirmado nas quartas de fina da Superliga Masculina

+ Com direito a 25/8, Vakifbank elimina time de Goncharova na Champions

Thaisa comemora vitória e o milésimo ponto de bloqueio na Superliga

Clubes se reúnem e querem que Libertadores classifique o campeão ao Mundial

Veja a tabela das quartas de final da Superliga Feminina

Fawcett na mira de clube italiano

Clubes femininos optam por manutenção do ranking para 2020

Sander, destaque do Sada/Cruzeiro, recebe propostas do exterior

Egonu desequilibra na Champions, Novara vence e anuncia técnico

Veja também

Fiat/Minas vence o América e segue 100%

Quatro jogos, quatro vitórias. Essa é a campanha do Fiat/Minas no Campeonato Mineiro mascu…