Home Superliga Garantido na Superliga 2019/2020, São Caetano faz balanço da temporada
Superliga - 18 de março de 2019

Garantido na Superliga 2019/2020, São Caetano faz balanço da temporada

O time não avançou ao playoff, mas ficou na 10ª e mantém tradição de 25 anos na Superliga

O São Cristóvão Saúde/São Caetano encerrou participação na Superliga Cimed Feminina de Vôlei garantindo sua vaga para a 26ª edição do campeonato, na temporada 2019/2020. O time evitou o rebaixamento, terminou a competição em 10º lugar e manteve a tradição de disputar todas as edições do campeonato – esteve em 25 das 25 Superligas realizadas pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

– Eu fecho a temporada com orgulho por manter o São Cristóvão Saúde/São Caetano na Superliga. Isso era um compromisso, mas o sonho era ir ao playoff, como era o sonho de todas – em nenhum momento a equipe abandonou o campeonato, queria seguir e lutou por isso. A prova foi o returno que fizemos, pontuando em seis partidas. Superadas as dificuldades do turno a equipe trabalhou e mostrou que tinha técnica – resumiu o técnico Antonio Rizola.

O técnico Rizola ainda não sabe se permanecerá no comando da equipe na próxima temporada (Osvaldo F./Contrapé)

– Saio alegre por manter o São Caetano na Superliga, na expectativa de ver o São Cristóvão Saúde seguir apoiando a equipe e torço para que o projeto possa ter ainda mais recursos para investir mais – são 25 anos de Superliga – acrescentou o treinador.

Durante todo o primeiro turno da Superliga o time enfrentou contusões – Andressa, Fê Isis, Dayse e Sonaly, com torções – e fraturas, de dedo do pé da central Diana e do dedo da mão da levantadora Ana Flávia.

– Foi um ano de muita dificuldade, uma Superliga em que fizemos dois turnos de formas diferentes. No turno enfrentamos duas fraturas e quatro torções, contusões que atrapalharam muito. No returno, quando tivemos condições de trabalhar melhor fizemos seis partidas pontuando – avaliou o treinador.

– O resultado não foi o que a gente esperava, não foi o que a gente planejou, mas as coisas às vezes fogem do controle durante a temporada. Nosso objetivo não era esse, mas analisando o lado bom conseguimos manter o São Cristóvão Saúde/São Caetano na elite do vôlei e eu espero que sigam os investimentos, sejam eles pequenos ou grandes, porque este é um time muito importante para a Superliga – afirmou a ponta Sonaly Cidrão.

LEIA TAMBÉM

+ Clubes se reúnem e querem que Libertadores classifique o campão ao Mundial

Veja a tabela das quartas de final da Superliga Feminina

Sesc RJ derrota o Dentil/Praia Clube e termina em terceiro

+ Itambé/Minas supera o Curitiba e mantém liderança

+ Hinode/Barueri passa pelo São Caetano e fica em quarto

Osasco/Audax supera o BRB/Brasília é fica em quinto

Flu surpreende e bate o Sesi/Bauru, fora de casa

Fawcett na mira de clube italiano

Clubes femininos optam por manutenção do ranking para 2020

Sander, destaque do Sada/Cruzeiro, recebe propostas do exterior

Egonu desequilibra na Champions, Novara vence e anuncia técnico

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…