Home Destaques Sesc RJ é o primeiro time garantido nas semifinais da Superliga Masculina
Destaques - Superliga - 28 de março de 2019

Sesc RJ é o primeiro time garantido nas semifinais da Superliga Masculina

Cariocas eliminaram o Fiat/Minas com vitória em Belo Horizonte

O Sesc RJ é o primeiro semifinalista da Superliga Cimed Masculina 2018/2019. O time do técnico Giovane Gávio derrotou o Fiat/Minas por 3 sets a 0 – parciais de 25/19, 25/19 e 25/22 -, na noite desta quarta-feira, na Arena do Minas, em Belo Horizonte (MG), e encerrou o playoff das quartas de final em 2 a 0.

O adversário da equipe carioca na próxima fase sairá do confronto entre Sesi-SP e Itapetininga. A série está 1 a 0 para o time da capital. O Sesc RJ já havia vencido o primeiro confronto entre a duas equipes, no último sábado, no Rio, por 3 sets a 1.

O oposto Wallace foi, mais uma vez, o maior pontuador do jogo, com 20 pontos. O ponteiro Maurício Borges, que marcou 10 pontos e passou boa parte da temporada se recuperando de uma cirurgia no joelho sofrida em outubro do ano passado, foi eleito o melhor em quadra e faturou o Troféu VivaVôlei.

Maurício Borges ficou com o VivaVôlei (Divulgação)

– O primordial da gente é o nosso grupo, nosso grupo é muito forte. Nossa amizade em quadra é grande, somos uma equipe muito coesa. O resto vai saindo por consequência. Nosso jogo tático foi muito importante hoje. A gente tem de manter isso e levar para a semifinal – disse Maurício Borges.

Wallace ressaltou a partida de poucos erros da sua equipe:

–  A gente errou muito menos saque que eles. Fez toda a diferença. Nosso sistema defensivo funcionou muito bem. Agora, para a semifinal é manter a crescente. A gente vinha de muitos altos e baixos, estava complicado para nós. Temos tudo para continuar crescendo – disse o oposto campeão olímpico.

Pelo Fiat/Minas o maior pontuador foi o central Flávio, com 12 pontos, seguido pelo ponteiro Honorato, com 11 e o posto Davy, com 9.

Para o levantador Marlon, os erros e a inexperiência da equipe mineira pesaram para essa eliminação em dois jogos.

– O time deles está muito bem equilibrado em todos os fundamentos. A equipe estava bem marcada, mas o Wallace fez a diferença. Nosso time vem pecando em alguns momentos decisivos, aconteceu em outras partidas. Mas, serve de aprendizado para essa equipe jovem. Foi um ano de muita experiência – disse o capitão minastenista.

Flávio se emocionou ao comentar a eliminação (Orlando Bento/MTC)

O central Flávio se emocionou ao falar do jogo de despedida da Superliga.

– Esse momento é muito difícil porque a nossa equipe se despede da Superliga daquilo que a gente ama fazer, que é jogar vôlei – disse o jogador, com os olhos marejados.

– A gente se despede e fica aí a torcida pelos nossos amigos. Jogar contra o Thiaguinho (levantador do Sesc) é complicado. Jogamos juntos na Seleção Brasileira. É difícil jogar contra ele, tem uma finta muito boa. Nossa equipe jogou de igual para igual contra a equipe deles, que é uma equipe de investimento alto, montada para chegar à final. Ficam agora as lembranças, boas dessa temporada, as amizades que a gente faz e que ficam no coração da gente. Independentemente dos nossos erros, e erramos bastante, são processos que todos os atletas passam – disse Flávio.

Foi o quinto confronto entre as duas equipes na temporada. O duelo estava empatado até então. O Sesc venceu o jogo do turno da Superliga, no Rio; o Minas eliminou os rivais nas quartas de final da Copa Brasil, por 3 a 2, de virada, na Arena Jeunesse; os mineiros ganharam o jogo do returno da Superliga, em BH, e o time de Giovane Gávio foi melhor nos dois duelos das quartas de final, garantindo a vaga na semi, com propriedade.

O Sesc RJ aguarda rival na semifinal (Renan Bin/FollowX/Comunicação)

O Minas não ofereceu nenhuma resistência ao rival nos dois primeiros sets. Com um passe instável, obrigando o levantador Marlon a jogar com as pontas, os mineiros foram presa fácil para o bloqueio e a defesa do Sesc RJ.

O único set equilibrado foi o terceiro. O Minas diminuiu os erros de saque e passou a marcar bem o adversário no bloqueio, principalmente com o central Flávio. Mas, a inexperiência dos donos da casa falou mais alto. Os mineiros desperdiçavam saques importantes, enquanto o Sesc, com um bloqueio pesado, seguia amortecendo as bolas adversárias e definindo com Wallace e Maurício Borges. Com um ataque pela ponta de Maurício Borges pelo meio, o time carioca fechou o set em 25 a 22 e o jogo em 3 sets a 0.

Fiat/Minas: Marlon, Felipe Roque, Honorato, Bob Dvoranen, Flávio, Matheus Bispo e Maique (líbero). Entraram: Rogerinho, Davy, Carísio e Piá.

Técnico: Nery Tambeiro.

Sesc-RJ: Thiaguinho, Wallace, Japa, Maurício Borges, Tiago Barth e Maurício Souza. Entraram: Alexandre, PV e Djalma.

Técnico: Giovane Gávio.

Comemoração do Sesc RJ (Orlando Bento/MTC)

LEIA TAMBÉM

+ Macris vira sete pontos no próximo ranking da Superliga

Sassá vai ao clássico no Maracanã com a blusa do Fla e torcida do Flu não perdoa

Definidos os playoffs do Italiano Masculino

+ Itália domina semifinais da Champions, com quatro dos oito times classificados

Veja também

Santo André vira sobre o Vôlei Renata

Primeiro dia, primeira zebra. O Vôlei Renata, atual bicampeão do Campeonato Paulista, estr…