Home Superliga Desafio do Minas agora é se reconstruir, após saídas de Natália, Gabi e Lavarini
Superliga - 27 de abril de 2019

Desafio do Minas agora é se reconstruir, após saídas de Natália, Gabi e Lavarini

Alguns dos principais protagonistas da conquista do título da Superliga Cimed Feminina 2018/2019, na noite de sexta-feira, no Sabiazinho, em Uberlândia (MG), na vitória por 3 sets a 1 de virada, estão de partida do Itambé/Minas.

Além do técnico Stefano Lavarini que, segundo a imprensa italiana vai assumir o Busto Arsizio na próxima temporada, o clube mineiro não vai mais contar com sua dupla de ponteiras, Gabi e Natália. Gabi tem proposta do Vakifbank, atual campeão turco, campeão da Champions League, campeão da Copa Turca e do Mundial de Clubes, e Natália é pretendida pelo rival Eczacibasi, também da Turquia, comandado pelo técnico brasileiro Marco Aurélio Motta.

O assistente-técnico de Lavarini nas duas últimas temporadas – e, segundo palavras do próprio treinador, muito importante no trabalho da comissão -, Durval Nunes, o Duda, vai assumir o comando do Curitiba Vôlei.

Para o seu lugar no clube mineiro, segundo o site Volleyball.it, o Minas vai contratar o também italiano Nicola Negro, que disputa a Série A2 do Campeonato Italiano com o Trentino, clube que dirige desde 2017. Aos 39 anos, Negro tem passagem pelo vôlei polonês e já comandou o tradicional Conegliano.

Outras duas perdas do time minastenista pode ter são as centrais Mara e Mayany. Com a iminente contratação da bicampeã olímpica Thaisa e a permanência da capitã Carol Gattaz, nenhuma das duas quer ficar no banco. Elas têm proposta do Osasco/Audax, que não renovou com Nati Martins e Walewska, titulares na última temporada.

Mayany tem proposta do Osasco (Guilherme Cirino/Divulgação)

Macris, Leia e Gattaz renovaram. A levantadora e Thaisa são jogadoras ranqueadas como 7 pontos e cada time só pode ter duas delas em seu elenco. Só isso já inviabilizaria a permanência de Gabi e Natália – que também valem 7 pontos cada uma -, na equipe.

A ponteira venezuelana Roslandy Acosta confirmou em entrevista ao Web Vôlei, acerto com o Minas para a temporada 2019/2020. A jogadora de 27 anos, 1,90m, defendeu a seleção venezuelana nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e está desde 2017 no Bergamo (ITA).

O time segue atrás de mais uma estrangeira. A dúvida é se o clube vai manter a oposta Bruna Honório ou vai atrás de uma ponteira brasileira para poder contratar uma oposta estrangeira.

LEIA TAMBÉM

+ Fim do jejum: Itambé/Minas conquista a Superliga novamente, 17 anos depois

+ Confira a relação de todos os campeões da Superliga Feminina da história

+ Campeão Minas domina a Seleção da Superliga

+ Lavarini fala em “encontro de almas” para explica sucesso do Minas

Campinas receberá amistosos da Seleção masculina

+ Título da Superliga coroa temporada impecável do Itambé/Minas

Civitanova bate o Trentino e é o primeiro finalista do Italiano

Após críticas por ter pedido dispensa da Seleção, Gabi Cândido revela ter síndrome do pânico

Lukinha, ex-líbero do Vôlei Renata, vai para o lugar de Serginho no Sada/Cruzeiro

Rizola relembra título e batalha contra o BCN na final da Superliga 2001/2002

+ Dentil/Praia Clube anuncia renovação com Fernanda Garay

Veja também

Mineiro masculino: divulgados os oito participantes

A Federação Mineira anunciou, nesta terça-feira, os oito participantes do Estadual masculi…