Home Superliga É decisão! Sesi e EMS/Taubaté jogam pelo título da Superliga
Superliga - 10 de maio de 2019

É decisão! Sesi e EMS/Taubaté jogam pelo título da Superliga

Quinto duelo do playoff final acontecerá neste sábado, em Suzano

A espera chegou ao fim, e o campeão da Superliga Cimed masculina 2018/2019 será definido neste sábado. A Arena Suzano, em Suzano (SP), recebe o quinto e último jogo da série decisiva entre Sesi e EMS/Taubaté, às 21h30, com a transmissão ao vivo do canal SporTV 2.

Campeão na temporada 2010/2011 o Sesi-SP empatou a série após vencer o jogo do último sábado por 3 sets a 1. O líbero Murilo, que está no clube há 10 anos, único remanescente daquele título, destaca a evolução do voleibol neste período, e destaca o equilíbrio do confronto.

– Estou no Sesi-SP há dez anos, me sinto em casa aqui, e disputar mais uma final é muito bom. Este ano, como na temporada 10/11, tivemos a melhor campanha, e isso nos dá muita confiança. A gente manteve um nível muito bom de voleibol durante toda a competição, e estamos tentando fazer o mesmo nessa final. O voleibol evolui a cada ano, e acredito que hoje o nosso esporte está mais físico que em 2011, quando o Sesi-SP foi campeão. Mas temos um grupo homogêneo, muito unido, que mostra força quando precisa que alguém venha do banco. Espero mais um jogo muito equilibrado, é difícil de prever qualquer coisa – disse Murilo.

O ponteiro Lipe, também do Sesi-SP, foi o destaque do quarto jogo das finais da Superliga. Para o jogador será preciso focar em cada detalhe para alcançar a vitória.

Festa do Sesi durante as finais da Superliga (Inovafoto/CBV)

– Durante a temporada a gente consegue se adaptar, muda uma coisa ou outra, mas quando chega neste tipo de jogo é o momento de colocar tudo para fora, dar o 100% de energia, vibração. Todos já se conhecem, então é preciso estar focado em cada detalhe do jogo. É um momento de desgaste físico e mental, então a vontade faz a diferença. A força da torcida influencia bastante. Este será um jogo de muito alto nível e será definido no detalhe, em quem errar menos. Não podemos perder as oportunidades que surgirem – contou Lipe.

O EMS/Taubaté liderava a série e teve a oportunidade de encerrar a disputa já no último duelo. Uma das peças principais do time, o central Lucão sabe que para levar o título da Superliga será preciso errar pouco. O jogador acredita em mais uma partida bastante equilibrada.

Comemoração do Taubaté (William Lucas/Inovafoto/CBV)

– Acredito que não serão só um ou dois fundamentos que vão fazer a diferença. As duas equipes têm características diferentes, o Sesi tem um jogo bem regular, erra pouco, mas ao mesmo tempo não força tanto quanto nós. Do nosso lado, sabemos que temos que minimizar os erros para conseguir facilitar as coisas. E temos que ter a postura de, desde o começo, impor o nosso jogo com agressividade. Em geral, acredito que este quinto jogo não fugirá muito do que aconteceu nas outras partidas da série, e será um jogo interessantíssimo, tanto para quem estiver jogando, quanto para quem estiver assistindo – comentou Lucão, que vai para sua segunda final de Superliga consecutiva – em 2018 ele estava no Sesi e acabou como vice-campeão.

O líbero Thales, do Taubaté, destaca o fator emocional como decisivo em um jogo recheado de estrelas e pautado pelo equilíbrio.

– As duas equipes têm jogadores bons, experientes e acostumados com jogos decisivos como esse de amanhã. Acho que o emocional vai fazer parte do jogo sim, mas junto com outros fatores que vão pesar tanto quanto ele.

LEIA TAMBÉM

+ Problema cardíaco afasta Bruna Honório da Seleção

Modena anuncia fim da carreira do treinador Julio Velasco

Na mira do Sada/Cruzeiro, esloveno fecha com o Trentino

Marcelinho anuncia aposentadoria

Thaisa é confirmada como primeiro reforço do Itambé/Minas para a temporada 2019/20

Gabi aponta 2019 como ano de “construção” da Seleção Feminina

Intensa dança das cadeiras após o término do Campeonato Turco Feminino

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…