Home Liga das Nações Brasil perde para a Polônia B e vai fazer jogo da vida contra o Irã, na sexta
Liga das Nações - 10 de julho de 2019

Brasil perde para a Polônia B e vai fazer jogo da vida contra o Irã, na sexta

O Brasil parecia tenso em quadra. A obrigação de vencer o time B da Polônia pesou e a responsabilidade estava estampada no semblante fechado dos jogadores. Contra um rival – pelo contrário, leve e solto, com jogadores muito altos e habilidosos – a Seleção Brasileira acabou derrotada por 3 sets a 2 – parciais de 25/23, 23/25, 25/21, 21/25, 15/9  -, na noite desta quarta-feira, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, na abertura da fase final da Liga das Nações.

O Brasil joga agora todas as suas fichas para se manter vivo na VNL e avançar às semifinais, contra o Irã, sexta-feira, às 19h.  Nesta quarta-feira, a Polônia enfrenta os iranianos às 19h e a Rússia pega a França, às 22h.

Sem o central Maurício Souza, que ficou no Brasil se recuperando de uma lesão no tornozelo sofrida na última rodada da fase classificatória na Liga das Nações técnico Renan escalou Flávio no time titular para fazer dupla no meio com Lucão. O restante da equipe foi Bruninho, Wallace, Lucarelli, Leal e Thales (líbero).

Time alternativo

A Polônia optou por jogar a fase final da VNL com uma equipe B. Poupou os titulares para a disputa do Pré-Olímpico, que acontece entre os dias 2 e 4 de agosto e é a competição mais importante do ano, já que vale vaga para os Jogos de Tóquio-2020. Polônia e França estão no mesmo grupo do Pré-Olímpico.

O oposto Wallace foi o maior pontuador do jogo, com 21 acertos. Lucarelli marcou 18 e Leal, 14. Pela Polônia, os destaques foram o ponteiro Bednorz, com 18 pontos, e o central Klos, com 15.

O Brasil marcou 69 pontos de ataque, 7 de bloqueio, 5 de saque e cedeu 26 em erros. A Polônia marcou 68 de ataque, 12 de bloqueio, fez 3 aces e errou 22 vezes.

Leal, assim como todo o Brasil, foi inconstante e marcou apenas 14 pontos (FIVB)

Erros no tie-break

O Brasil perdeu o tie-break para os erros de recepção, principalmente. O quinto set foi equilibrado até o oitavo ponto, quando os rivais comandaram a virada de quadra com 8 a 7 no placar. Erros consecutivos de passe fizeram a Polônia ampliar a vantagem para 10 a 7. E, na reta final, dois erros de ataque deram o match point para o time polonês.

Autoridade

Mesmo sem seus principais jogadores, os poloneses deram muito trabalho. Com um time alto e sem a obrigação de vencer, os europeus, campeões dos dois últimos mundiais com duas vitórias sobre o Brasil na final, começaram a partida com agressividade no saque e eficiência no ataque, vencendo o primeiro set por 25 a 23.

A Seleção Brasileira parecia nervosa em quadra. Não vibrava, jogava com o semblante tenso. Leal e Lucarelli não apresentavam o mesmo aproveitamento no ataque. Bruninho, que jogou pouco com os meios no primeiro set por causa da má qualidade do passe, passou a usar os centrais. A Polônia não deixou o Brasil escapar do placar, mas o time verde-amarelo venceu a segunda parcial devolvendo a derrota, com um 25 a 23, empatando o confronto em 1 a 1.

A Polônia colocou um pé na semifinal da Liga das Nações (FIVB)

O terceiro set evidenciou ainda mais o nervosismo brasileiro. O time vencia por 15 a 11, o técnico polonês já tinha queimado seus pedidos de tempo e seus desafios e a Polônia tinha acabado de levar um cartão vermelho por reclamação. Ainda assim, os rivais conseguiram reagir e empataram em 15 a 15. Renan tirou Leal, mal na recepção, e colocou Douglas Souza. O Brasil abriu frente de 19 a 17, mas novamente com erros no passe deixou os poloneses virarem para 23 a 19. Os atuais bicampeões mundiais fecharam o set em 25 a 21, abrindo 2 a 1 no jogo, preocupando a torcida brasileira.

Renan começou o quarto set com mudanças na equipe. Cachopa começou no lugar de Bruninho, Isac foi a opção para a saída de Lucão e Leal retornou no lugar de Douglas Souza. Com Wallace sendo o atacante mais constante do time virando as bolas decisivas, o Brasil abriu logo 9 a 4. Jogando mais solto e com velocidade, a Seleção manteve a diferença. Com um bloqueio agressivo, a Polônia passou a amortecer os ataques brasileiros e encostou em 17 a 19. A Seleção virou as bolas de segurança e fechou o quarto set em 25 a 21, empatando a partida em 2 a 2.

Erros

O saque da Polônia entrou no início do tie-break e o time fez 6 a 3. Renan gastou o primeiro tempo para dar tranquilidade à equipe. Em boa passagem de Flávio pelo saque, a Seleção empatou em 6 a 6, com Wallace bem nos contra-ataques. Mas, depois do oitavo ponto polonês, na virada de quadra, o Brasil se perdeu em erros de passe e ataque. Líder da primeira fase da Liga das Nações com apenas uma derrota em 15 jogos, a Seleção vive agora o drama de poder ser eliminada antes das semifinais.

Liga das Nações
Fase final

Quarta-feira 10/7
Polônia 3 x 2 Brasil (25/23, 23/25, 25/21, 21/25, 15/9)
22h EUA x França SporTV2

Quinta-feira 11/07
19h Irã x Polônia SporTV 2
22h Rússia x França SporTV 2

Sexta 12/07
19h Brasil x Irã SporTV 2
22 EUA x Rússia SporTV 2

Sábado 13/07
19h Semifinal 1 SporTV 2
22h Semifinal 2 SporTV 2

Domingo 14/07
20h Final SporTV 2

LEIA TAMBÉM

Veja também

Líder da primeira fase, Vôlei Renata escapa dos rivais Sesi SP e EMS/Taubaté na semi

O Vôlei Renata está na semifinal do Campeonato Paulista e vai ter uma semana cheia de trab…