Tóquio
Home Praia Duplas brasileiras sentem o clima olímpico em Tóquio
Praia - Tóquio-2020 - 22 de julho de 2019

Duplas brasileiras sentem o clima olímpico em Tóquio

Nesta semana, etapa do Circuito Mundial será evento-teste para a Olimpíada de 2020

As duplas brasileiras de vôlei de praia entram na quarta semana seguida de competições no Circuito Mundial 2019, e o próximo desafio na maratona de torneios terá clima olímpico. Os times entram em quadra para a etapa quatro estrelas de Tóquio (Japão), de quarta-feira a domingo, com o evento teste dos Jogos Olímpicos de 2020. O Brasil será representado por 10 duplas, cinco em cada naipe.

O evento-teste será uma etapa nível quatro estrelas do Circuito Mundial, ou seja, conta pontos para a corrida olímpica brasileira, que define os representantes do país na próxima edição dos Jogos. O torneio em Tóquio seguirá o formato olímpico, com o mesmo número de duplas participantes (24 em cada gênero) e sistema de disputa similar ao que acontecerá em 2020, distribuindo 300 mil dólares aos competidores.

São cinco duplas brasileiras no naipe masculino, três delas já garantidas na fase de grupos pelo ranking de entradas, entrando em quadra a partir de quinta-feira: Alison/Álvaro Filho (ES/PB), André Stein/George (ES/PB) e Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF). Já Guto/Saymon (RJ/MS) e Pedro Solberg/Vitor Felipe (RJ/PB) disputam o classificatório um dia antes, buscando uma das oito vagas disponíveis em jogos eliminatórios diretos.

Alison e Álvaro Filho chegam embalados para o torneio em Tóquio, já que no último domingo foram campeões da etapa quatro estrelas de Espinho (Portugal). O defensor da dupla comentou a necessidade de rapidamente mudar o foco para o próximo objetivo.

– Tivemos um torneio muito duro, enfrentando vice-campeões mundiais, vice-campeões olímpicos, jogos que tivemos que apresentar nosso melhor voleibol. Merecemos este título, estamos felizes pelo crescimento, mas sabemos que Tóquio já está aí, temos que nos preparar e buscar se adaptar rapidamente – destacou o medalhista pan-americano.

No torneio feminino, as três duplas já garantidas na fase de grupos são Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Ágatha/Duda (PR/SE) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ), começando a disputa na quinta. Já Carol Solberg/Maria Elisa (RJ) e Talita/Taiana (AL/CE) jogam o classificatório um dia antes, nesta quarta, buscando uma das oito vagas ainda disponíveis.

Ana Patrícia e Rebecca, que lideram a corrida olímpica brasileira, também chegam embaladas, já que conquistaram bronze no sábado passado, na etapa quatro estrelas de Espinho. Ana Patrícia comentou os desafios para a etapa japonesa.

– Vivemos um aprendizado lá em Espinho, perder a semifinal, que é sempre algo duro, e nos recompor o mais rápido possível para buscar uma medalha. Cada etapa no Circuito Mundial tem sido um aprendizado diferente. Estamos felizes com o que estamos trabalhando e desenvolvendo, mas sem nos acomodarmos, já focando em Tóquio após uma viagem longa. Temos que tentar nos adaptar ao fuso rapidamente e para entrar bem em quadra – disse.

O torneio em Tóquio terá formato particular, por ser um evento-teste aos Jogos de 2020. Em uma etapa quatro estrelas usual, a fase de grupos é composta por 32 times divididos em oito grupos. Já na competição desta semana, apenas 24 duplas em cada gênero participam, divididas em seis chaves, como ocorre no evento olímpico. Além disso, em uma etapa normal, são dois jogos na primeira fase, contra três partidas no evento-teste.

Os primeiros e segundos colocados de cada grupo, além dos dois melhores terceiros, avançam às oitavas de final. Os outros quatro terceiros colocados disputam uma fase eliminatória preliminar, o lucky loser, com os dois vencedores completando os 16 times das oitavas. Desta fase em diante, a disputa segue em formato eliminatório tradicional, com oitavas, quartas, semifinais e disputas de bronze e ouro.

Tóquio receberá uma etapa do Circuito Mundial de vôlei de praia pelo segundo ano seguido. Em 2018, porém, a competição era classificada como três estrelas pela FIVB. A classificação das etapas acontece de acordo com a quantidade de pontos oferecidos, o valor da premiação e o tamanho da arena. Os primos chilenos Marco e Esteban Grimalt, e as alemãs Teresa Mersmann e Cinja Tillmann foram os vencedores em 2018.

Veja também

Em tie-break eletrizante, Minas perde para reservas do Cone, mas vê luz no fim do túnel

Foi um jogo de tirar o fôlego e de tirar o sono de quem se dispôs a ir madrugada adentro p…