Home Mundial de Clubes Técnicos são unânimes em dizer que será o Mundial mais difícil da história
Mundial de Clubes - 2 de dezembro de 2019

Técnicos são unânimes em dizer que será o Mundial mais difícil da história

O Mundia Feminino de Clubes começa nesta segunda-feira com a partida entre Conegliano (ITA) e Eczacibasi (TUR), pelo Grupo A, às 23h (horário de Brasília), na cidade de Shaoxing, na China.

Os times brasileiros estreiam na sequência. O Dentil/Praia Clube enfrenta o Vakifbank (TUR), às 3h, pelo Grupo B, e Itambé/Minas tem pela frente o Guangdong Evergrande, da China, às 6h, pela Chave A. Às 9h, pelo Grupo B, Tianjin (CHI) e Novara (ITA) jogam.

Os três primeiros colocados no pódio do ano passado – Vakifbank, Minas e Eczacibasi – estão de volta e buscam um ótimo desempenho na última edição. Mas, todos concordaram que esta é a competição mais difícil do Mundial. As mineiras perderam a final para o Vakifbank por 3 sets a 0.

– Estamos felizes por estar aqui novamente. Estamos reconstruindo a equipe, então faremos o possível para jogar. Queremos usar as partidas aqui para melhorar a nós mesmos – disse o técnico italiano Giovane Guidetti, do Vakifbank, time da ponteira brasileira Gabi e adversário do Praia na estreia.

Técnicos falaram sobre a expectativa do Mundial (FIVB/Divulgação)

– Temos lembranças incríveis aqui de Shaoxing. Tivemos uma equipe forte no ano passado e agora estamos reconstruindo. Não seria fácil este ano por causa das equipes fortes. No entanto, queremos colocar o nosso melhor em quadra e desejamos a todos os times boa sorte disse a capitã do Vakifbank, a central Ayse Melis Gurkaynak.

O técnico do Minas, Nicola Negro, espera a edição mais memorável do campeonato.

– É um grande prazer jogar entre os melhores clubes do mundo. Temos a honra de representar o vôlei brasileiro. Estamos aqui para fazer o nosso melhor e obter o melhor resultado possível. Esperamos jogar e crescer como um time. Acho que esta será a edição mais memorável do Campeonato do Mundo.

– É um prazer estar aqui novamente em Shaoxing. Faremos o nosso melhor, como sempre. Será uma grande competição e desejamos boa sorte a todas as equipes – disse a central Carol Gattaz, capitã minastenista.

O técnico do Eczacibasi, o brasileiro Marco Aurelio Motta, foi eliminado pelo Minas na semifinal do Mundial do ano passado, com derrota por 3 sets a 2. Este ano, no entanto, o time turco, que conta com a oposta sérvia Boskovic e as ponteiras Kiim e Natália, é um dos favoritos ao título.

– Estamos felizes por estar nesta competição. Esta é de longe a melhor competição em anos. As equipes são as melhores do mundo. Estamos felizes por estar aqui para representar o país e o clube. Vamos enfrentar adversários fortes aqui e será difícil para todas as equipes.

O treinador do Praia, Paulo Coco diz que sonha alto.

– É uma honra fazer parte deste Campeonato do Mundo. É um grande desafio para minha equipe enfrentar adversários fortes. Sonhamos alto e sonhamos grande. Nosso desafio nesta competição é realizar o nosso melhor e reconstruir a equipe – disse o técnico.

Guidetti, técnico do Vakifbank e Marco Aurélio Motta, do Eczacibasi (FIVB/Divulgação)

As italianas do Conegliano e do Novara estão ansiosas por inovar ao estrear nesta edição. Os dois times criaram uma forte rivalidade em sua liga nacional e esperam continuar suas conquistas no Mundial.

– É uma honra e estamos orgulhosos de estar aqui. Todos sabemos que este torneio será incrível, devido ao alto nível de competições, graças às equipes que estarão competindo este ano. Sabemos que vamos melhorar e aprender algo com este torneio – disse o técnico do Novara, Massimo Barbolini.

–  É um prazer estar aqui para participar deste evento internacional. É a primeira vez que competimos aqui e jogamos contra os times mais fortes do mundo. Vamos tentar mostrar o melhor vôlei que pudermos – destacou a central Cristina Chirichella.

– Estamos muito felizes por estar aqui. Para mim e para muitos dos meus jogadores, esta será a nossa primeira experiência neste Campeonato do Mundo. Estamos cheios de emoções, mas isso é uma boa oportunidade para todos. O nível é muito alto; de fato, ele tem o melhor nível, por isso temos que fazer o possível para alcançar bons resultados – revelou o treinador do Conegliano, Daniele Santarelli.

– É uma grande honra estar aqui. É a nossa primeira vez e isso é algo importante para nós, pois representamos o clube em uma competição internacional. Faremos o nosso melhor e lutaremos em todas as partidas. Desejamos a todos o melhor – completou a capitã Joanna Wolosz.

LEIA TAMBÉM

Confira os horários e os jogos da primeira fase do Mundial Feminino

Números de Leal seguem bons na Itália

Gramado se candidata para receber as Supercopas em 2020

Entrevista exclusiva com o narrador do SporTV, Bruno Souza

Veja também

Superliga Feminina inicia semana com jogos que foram adiados. Veja a classificação

A oitava rodada da Superliga Feminina terminou neste sábado, com a vitória do Itambé/Minas…