Brenda Castillo
Home Destaques Bauru tem muito a ganhar com a volta de Brenda Castillo
Destaques - Vaivém - 26 de março de 2020

Bauru tem muito a ganhar com a volta de Brenda Castillo

Uma análise do retorno da dominicana ao vôlei brasileiro

A segunda passagem de Brenda Castillo pelo vôlei brasileiro pode ser um divisor de águas. E não apenas para o Sesi Bauru, que passará a ter uma das melhores líberos de todos os tempos novamente no seu elenco na temporada 2020/2021. Mas principalmente para a própria dominicana.

O último ano foi uma verdadeira montanha-russa para Brenda. No dia 18 de fevereiro de 2019, ela deu a luz para Breanna Juliette, a primeira filha. Com o nascimento, afastou um fantasma, já que em 2012  teve uma gravidez interrompida após 18 semanas de gestação. Pouco mais de quatro meses depois da chegada de Breanna ao mundo, Brenda já estava em quadra para defender a seleção da República Dominicana no Pré-Olímpico de Uberlândia. E as mulheres-atletas sabem o tamanho do sacrifício para conciliar o esporte de alto rendimento e a maternidade. Por pouco, Brenda não saiu do Sabiazinho com uma vitória histórica sobre o Brasil.

Na sequência, embarcou para Lima, no Peru, onde foi destaque na conquista da medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos, a primeira do país caribenho em 16 anos. Até que um acidente automobilístico quase motivou o encerramento precoce da carreira da líbero, aos 27 anos. Uma semana após o Pan, ao lado do marido José Martínez, ela se acidentou em Las Terrenas, no país-natal. Sofreu uma fratura no úmero esquerdo, com necessidade de redução, e precisou de uma placa de titânio para fixação. A continuidade do vôlei chegou a ser colocada em dúvida. O médico responsável pelo atendimento foi tratado como um “anjo” no caminho de Brenda pela mídia local.

Em janeiro deste ano, ela já estava em quadra, ajudando as “Rainhas do Caribe” na classificação olímpica para Tóquio. Brenda foi a melhor passadora e também defensora da competição. Foi chamada de Fênix, renascendo das cinzas.

Em Bauru, a líbero não deverá ter problemas de adaptação. Já conhece a cidade, os dirigentes, as instalações esportivas e nunca escondeu ter gostado da passagem anterior. Pessoas próximas garantem que ela está mais centrada na carreira, “zen”, deixando festas e badalações de lado, afastando as referências extra-quadra negativas que já a acompanharam. Como joga como poucas na função, uma versão mais madura de Brenda Castillo poderá fazer o Sesi Bauru mudar de patamar.

Por Daniel Bortoletto

Veja também

Rússia encerra campeonatos e decreta campeões

A Federação Russa de Vôlei anunciou, neste sábado, o encerramento da temporada no país por…