jaque
Home Destaques Aumentar a família e ser apresentadora: os planos de Jaque para o futuro
Destaques - Entrevista - 23 de julho de 2020

Aumentar a família e ser apresentadora: os planos de Jaque para o futuro

Em entrevista à revista Quem Acontece, Jaque fala de família, carreira e planos

Em entrevista à revista Quem Acontece, publicada nesta semana, a ponteira Jaqueline, bicampeã olímpica e indo para mais uma temporada no Osasco Audax/São Cristóvão Saúde, abriu apartamento onde vive em São paulo com o marido Murilo – líbero do Sesi-SP e ex-ponteiro da Seleção Brasileira – e o filho Arthur, de 6 anos.

Jaque relembrou a infância difícil, em Pernambuco, e agradece à mãe por ter conquista tudo o que o vôlei lhe proporcionou, carreira que ela deu início aos 11 anos de idade.

– A gente nunca foi de ter luxo, mas também nunca passamos necessidade porque a minha mãe sempre trabalhou muito para cuidar de mim e da minha irmã, Juliana. Enquanto ela trabalhava, a gente cuidava dos afazeres de casa. Minha mãe sempre ensinou a gente a dar valor a tudo. Então, por mais que não tivéssemos uma boneca para brincar, dávamos valor a qualquer coisinha que chegava dentro de casa, qualquer alimento. Graças a Deus, hoje eu posso retribuir tudo o que a minha mãe deu para mim. Eu fico extremamente grata por minha mãe não ter tirado esse sonho de me tornar uma grande jogadora. Pelo contrário, ela sempre me incentivou muito, independentemente de todas as dificuldades que a gente passou – disse Jaque, à reportagem de Quem.

– Me sinto honrada e feliz porque tudo o que conquistei foi fruto de muita perseverança, luta e das dificuldades que enfrentei na vida. Quando você tem o seu cantinho, é a realização de um sonho. Conheço muitos profissionais que não tinham um prato de comida e hoje realizaram muitos sonhos. Me sinto uma dessas pessoas – completou.

A ponteira falou também do seu jeito extrovertido e como conquista os fãs com seus vídeos divertidos nas redes sociais.

– As pessoas costumavam me ver apenas em quadra, que era um momento de concentração, de pensar em estratégias e em como vencer o jogo. Com a pandemia, por não estar jogando, estou podendo interagir mais por meio das minhas redes sociais. Amo essa troca com as pessoas e tenho me soltado mais. As pessoas estão gostando de conhecer esse meu lado mais brincalhona e divertida que sempre existiu. Gosto de ver todo mundo sempre rindo. Isso me dá prazer – conta ela, que apenas no Instagram reúne quase um milhão de seguidores – concluiu Jaque.

A bicampeã olímpica contou que formar uma família é a realização de um sonho.

– Sempre foi meu sonho ter e criar uma família. Conheci o Murilo quando tinha 14 anos de idade. E ele tinha 17. A gente é completamente diferente um do outro, em termos de personalidade, escolhas, de tudo… Mas a gente sempre entra em um consenso e as coisas acabam dando certo. Para manter um relacionamento duradouro o mais importante é o respeito e confiança. Se não tem isso, não dá! Não dá para viver na base da desconfiança. Mas o Murilo também nunca me deu motivo e eu também não. Crise todos os casais passam. Tem os seus períodos, mas quando entramos nestes momentos de crise, a gente conversa bastante e acaba que fica tudo certo depois – contou.

Jaque falou também que tem planos de aumentar a família – mas não agora – e que depois de aposentar as joelheiras sonha em ser apresentadora.

– Lógico que a gente tem vontade de ter mais filhos, mas a minha profissão é muito difícil. Ainda não sei quando vou parar de jogar. Quando tiver meu próximo filho, vou ter que parar de jogar. Então, quero jogar mais um pouco e daí eu penso em ter outro filho, mas vai depender do que eu estiver fazendo pós-vôlei. Tenho muito sonho de me tornar uma apresentadora. Se não for na TV, pode ser na internet mesmo. Eu já tenho feito alguns cursos e quando parar de jogar quero trabalhar com isso e com as minhas redes sociais – revelou.

Confira abaixo a entrevista para a Quem Acontece na íntegra:

Você gosta das atividades domésticas ou foge delas?
Eu gosto de cozinhar e de arrumar a casa, mas lavar prato não gosto. O Murilo sempre lava os pratos! No geral, estamos sempre ajudando um ao outro. Nós dois cozinhamos e ajudamos o Arthur com a escola.

Por sinal, como está entreter um filho de seis anos neste isolamento social?
O Arthur sempre foi uma criança muito tranquila. A gente tem as tarefas dele de casa, que ele tem que fazer, e após isso, ele brinca muito com a gente, joga vôlei… Ele tem o momento de jogar, de brincar com papai e mamãe, de assistir um desenho. Não tem muito o que fazer nesse período que estamos passando, então a gente tenta fazer o que pode para deixar ele mais entretido.

Ele já mostra interesse pelo vôlei?
Ele ama vôlei e fala que quer ser jogador. A gente teve que fazer o quarto dele com o tema só de esportes. Ele ama qualquer tipo de esporte porque a gente não acompanha só vôlei aqui em casa. Mas apesar de gostar de basquete, beisebol e outros esportes, ele fala que quer jogar vôlei quando crescer.

O que a maternidade mudou na sua vida?
Antes da maternidade, minha vida era vôlei, vôlei, vôlei e vôlei 24 horas (risos). Lógico que tinha o Murilo e a vida de casada, mas quando você é muito nova, quer evoluir e crescer na sua profissão. Eu amo jogar vôlei, mas depois da maternidade, mudou tudo! Tudo que faço é para o Arthur. Vivo para o Arthur 24 horas. Sempre foi meu sonho ter e criar uma família. Hoje dou mais valor a cada coisinha que faço com ele e para ele.

Tem conseguido manter uma rotina de treinos e de dieta nesse período excessivo dentro de casa?
Eu me cobro muito quando se fala de estar bem e de viver bem. Mas não tem jeito, no dia a dia e ainda mais nesse momento de isolamento, não me privo de comer nada. Mas priorizo a alimentação saudável até como exemplo para o meu filho. Sempre tenho fortalecido o meu corpo. Um dia faço funcional, no outro fortalecimento, no seguinte cardio… Tenho mantido a minha forma assim. Eu não consigo viver sem! Apesar de não poder ir a academia, a gente dá um jeitinho em casa. Jogo vôlei com o Murilo também.

Como é sua relação com a beleza. Sempre esteve de bem com a autoestima?
Toda mulher passar por problemas na autoestima. Mas procuro ter uma boa autoestima porque a gente tem que se aceitar do jeito que é. Eu sempre fui muito vaidosa, gosto de me cuidar, de ir aos jogos maquiada… Aquilo para mim é um evento e que quero estar bem para fazer o meu melhor. Me sinto muito bem quando me maquio. Me ajuda a desenvolver dentro de quadra o meu melhor. Claro que tem os momentos de autoestima baixa, mas sou forte o bastante para mandar isso embora e me reerguer. Tenho uma autoestima muito boa, mas não só para a beleza, para a vida. Julgado todo o ser humano é. Mas a gente tem que saber lidar com todo o tipo de situação. Nunca tive problema quanto a isso.

Você gosta muito de moda. Faz alguma coleção?
Eu não faço coleção, mas tenho muita coisa porque sou apaixonada por moda mesmo. Tenho muitas bolsas, sapatos, tênis e maquiagem. Estou sempre antenada no que está acontecendo, nos desfiles, procuro ir quando posso… Sou apaixonada!

No que você gosta de investir o seu dinheiro?
Quem cuida do meu dinheiro é o Murilo. Ele investe na bolsa, está sempre se atualizando e vendo o que está acontecendo… Eu sempre tive o sonho de abrir uma loja de roupa, quem sabe não se torna uma realidade, mas enquanto isso não acontece, deixo ele trabalhar o dinheiro (risos).

Veja também

Veja nova divisão dos times da Liga Profissional Americana

O draft da Liga Profissional Americana feminina para a segunda semana de disputa aconteceu…