Wolosz
Home Internacional Wolosz elogia Conegliano e aponta principais rivais
Internacional - 13 de julho de 2020

Wolosz elogia Conegliano e aponta principais rivais

A levantadora polonesa Joanna Wolosz voltou ao trabalho com o Conegliano, da Itália, na última semana, ciente de que o time a ser batido no vôlei feminino mundial terá dificuldades na temporada 2020/2021.

Para a capitã da equipe italiana, os principais candidatos para desbancarem o Conegliano são:

– Muitas equipes mudaram bem e será uma temporada interessante nas muitas competições que nos aguardam. Os adversários parecem ainda mais fortes do que no passado. Na Liga dos Campeões, eu gosto do Vakifbank: elas também mantiveram a base da última temporada e são sempre muito fortes. Temos de ficar de olho no Fenerbahce e nos outros turcos, além de obviamente os três italianos. Na Itália, me parece que o Novara construiu um belo time, jovem e talentoso, com um novo treinador (Stefano Lavarini) que pode fazê-las jogar bem. Mas os outros times também se reforçaram, enfim, haverá diversão desde o primeiro compromisso, a Supercopa em setembro – disse Wolosz.

Sobre as férias forçadas pela pandemia do coronavírus nos últimos três meses, ela aprovou o tempo para “curtir a vida”:

– Foi bom ir para casa, curtir minha casa em Varsóvia, relaxar com minha irmã, dedicar tempo para amizades e parentes, algo que raramente acontece. Depois conversei também com minhas companheiros: foi uma oportunidade única para nos recuperarmos do ponto de vista físico, cuidarmos do nosso corpo e talvez resolvermos alguns problemas. Em suma, havia lado bom nessa longa parada, mas agora estamos aqui para trabalhar juntos novamente e isso é importante. Agora, estamos com muita fome de treinar, de voltar ao trabalho, porque o lema deste ano será recomeçar de onde paramos e, para isso, será preciso muito esforço.

O Conegliano manteve todo o time titular e reforçou o banco de reservas para a temporada, como a oposto francesa Gicquel, a ponta americana McKenzie Adams e as centrais Fahr (ITA) e Butigan (CRO).

– Gosto muito da nova formação, não foi fácil formar uma equipe este ano com todos os problemas inesperados que ocorreram. É ótima a permanência do grupo do ano passado. Existem também algumas meninas novas, que precisaremos ser capazes de integrá-las em nosso sistema em breve, nos conhecermos e criar a química certa para obter os ótimos resultados que queremos.

Veja também

Vakifbank completa semana perfeita na Champions

O Vakifbank encerrou a primeira semana da Champions League feminina com 100% de aproveitam…