kim fivb
Home Destaques Kim: a jogadora da semana da FIVB
Destaques - Internacional - 18 de agosto de 2020

Kim: a jogadora da semana da FIVB

A Coreia, da ponteira Kim, está no caminho do Brasil em Tóquio-2020

A ponteira coreana Kim Yeon Koung, 32 anos, é a jogadora da semana do site da FIVB. Adorada por todos, sempre sorridente e simpática, a jogadora de 1,92m faz parte da seleção do seu país há uma década e meia, ajudando a manter o time presente em todas as principais competições internacionais.

MVP dos Jogos de Londres-2012, foi a maior pontuadora da competição, com 207 pontos, à frente da norte-americana Destinee Hooker, com 161, e da oposta brasileira Sheilla, com 140. A Coreia terminou o torneio em quarto lugar. Kim não foi a Pequim-2008 por conta de uma lesão. Nos Jogos do Rio-2016, as coreanas foram eliminadas nas quartas de final pela Holanda, por 3 sets a 1.

Assim como em 2016, Kim está no caminho do Brasil nos jogos de Tóquio-2020. No Rio, as brasileiras venceram por 3 a 0, na fase classificatória. A Coreia está no Grupo B, ao lado do Brasil e também de Japão, República Dominicana, Sérvia e Quênia. O Grupo A tem China, EUA, Itália, Rússia, Turquia e Argentina.

No início da carreira, depois de ganhar três títulos nacionais com o Incheon Heungkuk Life Pink Spiders, da Coreia, e outro com o japonês JT Marvelous, sua primeira aventura fora do país, Kim se mudou para a Europa.

Ela se juntou ao Fenerbahçe de Istambul, em 2011, e foi rapidamente coroada campeã europeia na Liga dos Campeões da Europa em 2012, com o técnico José Roberto Guimarães, seguida por uma medalha de bronze no Campeonato Mundial de Clubes, em Doha, no mesmo ano.

A ponteira ganhou outra medalha da Liga dos Campeões – um bronze em 2016 – e ainda mais ganhou a Taça CEV da segunda divisão durante sua passagem de seis anos pelo Fenerbahçe.

Depois de um breve retorno à Ásia para jogar por uma temporada no Xangai da China, ela estava de volta à Turquia em 2018 para se juntar ao rival do Fenerbahçe, o Eczacibasi VitrA, com o qual ganhou mais medalhas no Campeonato Mundial de Clubes – um bronze em 2018 – após ter sido eliminado pelo Itambé/Minas na semifinal -, e uma prata no ano passado, ao perder a final para o Conegliano (ITA), ambos em Shaoxing.

Kim se machucou durante as eliminatórias para as Olimpíadas Asiáticas no início do ano, enquanto comandava a Coreia a caminho de uma passagem para as Olimpíadas de Tóquio em 2020, e estava fora das quadras desde então. Após duas temporadas, ela deixou o Eczacibasi VitrA e estará atuando na próxima V-League da Coreia com seu antigo time, o Pink Spiders.

Veja também

Caramuru derrota o América e entra no G8

O Caramuru derrotou o América Montes Claros por 3 sets a 1 – parciais de 25-23, 25-1…