Vôlei Futuro
Home Superliga A expectativa do Vôlei Futuro para a volta após sete anos
Superliga - 27 de outubro de 2020

A expectativa do Vôlei Futuro para a volta após sete anos

O mês de outubro marcou o retorno das competições nacionais do voleibol de quadra e, dentre os eventos a realizados está a temporada 2020 da Superliga C. A competição chega à quarta edição no naipe com 28 times na disputa pelas cinco vagas disponíveis no acesso à Superliga B. E entre os participantes está um clube que, no passado recente, foi finalista da principal competição brasileira. O Vôlei Futuro Assaí aposta na Superliga C para voltar oficialmente às disputas nacionais depois de sete anos longe das quadras.

A estreia está prevista para sexta-feira, na segunda rodada do Grupo 2, contra a equipe de Frutal (MG), às 20h. Além das duas equipes, estão também na disputa em Araçatuba o Uberlândia/ABCD (MG), o Santos Vôlei/Praia Grande (SP), o Vôlei Iacanga Fitness (SP) e o Cidade Viva Vôlei/LRV (MT). Os seis times estão divididos em duas chaves com três equipes e cada, os dois melhores avançam às semifinais. O vencedor do duelo final fica com a vaga para a Superliga B.

O time do interior paulista aposta no fator casa para atingir o primeiro objetivo da temporada, que é subir de divisão. Araçatuba (SP) será a sede do grupo 2 da Superliga C masculina, que tem início nesta quinta-feira. O presidente do clube, Luis Henrique Reis, conta sobre a decisão de retomar o projeto e os passos a serem seguidos para a disputa da primeira competição nacional depois da última aparição na Superliga 2012/2013.

– O Vôlei Futuro é uma paixão para nós da diretoria, e de toda a região. Com o término do projeto anterior ficou um vazio para a população daqui. Foram sete longos anos sem o time e notei que era algo necessário de se fazer. O nosso primeiro objetivo foi formar um time de base. Montamos uma equipe infanto-juvenil e temos parceria com uma ONG da região. Agora estamos no processo de fazer o caminho de volta para a elite do voleibol nacional, e parte deste movimento passa pela Superliga C, que é o passo inicial desta caminhada – contou Luis Henrique.

E a missão de comandar o Vôlei Futuro neste retorno ficou a cargo de um dos ídolos do time, o ex-ponteiro Rafael Fantin, o Dentinho, que jogou por três anos no time de Araçatuba e ajudou a equipe a chegar na decisão da Superliga em 2012, o melhor resultado do clube no campeonato. Agora, no papel de treinador, Dentinho quer trazer de volta a alegria ao apaixonado torcedor e à cidade.

– Eu fiquei muito grato ao receber o convite para ser o treinador, e, até de certo modo, surpreso. Não tinha esta expectativa, minha intenção sempre foi colaborar da melhor forma sem esperar nada em troca. Quando o Luis, presidente do clube, me perguntou se eu topava assumir eu fiquei muito lisonjeado. Essa retomada do projeto do Vôlei Futuro ao cenário nacional era algo que a torcida local, a cidade de Araçatuba toda esperava. E quando veicularam a notícia do retorno, foi uma enxurrada de mensagens de torcedores se manifestando – comentou o treinador.

A opção por trazer Dentinho partiu diretamente do presidente Luis Henrique. O dirigente destacou a passagem do ex-atleta pelo clube. Para Luis, trazer pessoas importantes da história da equipe faz parte do plano de retomada do projeto.

– O Dentinho é um grande profissional e tem o respeito dos atletas, além do carinho de todos aqui na cidade. Ele foi a escolha certa para esta grande missão. Quando jogador, ele marcou o nome dele no Vôlei Futuro pela garra, responsabilidade e respeito. Foi também o atleta que mais vestiu a camisa do time, é uma referência para o projeto. Como se trata de um retorno que traz lembranças maravilhosas a todos, temos o dever de chamar algumas figuras que passaram por aqui – disse Luis Henrique.

Antes do início da Superliga C, Dentinho, que ainda tem compromissos em Bento Gonçalves (RS), cidade em que nasceu, participou dos treinamentos e reuniões com a comissão técnica de forma remota. Apesar da distância, o treinador garante que o trabalho tem sido bastante proveitoso, e que a relação pregressa com o clube teve influência na decisão.

– Eu joguei no Vôlei Futuro por três temporadas. A minha relação com o clube é a melhor possível. Tenho grande carinho por eles, pela torcida e pela cidade de Araçatuba. A diretoria atual é formada por pessoas que tiveram alguma colaboração com o projeto anterior, então conheço bem todos eles. Eu até avisei à diretoria que tenho meus compromissos até o final do ano aqui em Bento Gonçalves, e não posso me afastar por muito tempo. Como a Superliga C é uma competição de tiro curto, conseguimos fazer esse acordo. Logicamente com a comissão técnica trabalhando em conjunto, mesmo à distância, eu tenho acompanhado os treinamentos de forma on-line, e estou conseguindo esta integração. E essa ligação minha com o Vôlei Futuro acaba agregando para o projeto – explicou Dentinho.

 

Veja também

Taubaté vence mais uma e segue líder invicto

O EMS Taubaté Funvic segue imbatível na Superliga Masculina Banco do Brasil 2020/21. Na no…