osasco
Home Super Vôlei Em mais um jogo de 5 sets, Osasco bate o Sesi e pega o Praia na semi
Super Vôlei - 30 de outubro de 2020

Em mais um jogo de 5 sets, Osasco bate o Sesi e pega o Praia na semi

Não foi um jogo bonito. Pelo contrário. Tecnicamente foi feio, com muitos erros – de passe, principalmente. Mas, quando Sesi Bauru e Osasco São Cristóvão Saúde se enfrentam, o mínimo que se pode esperar é rivalidade e isso teve de sobra. Na estreia dos dois times no Super Vôlei, deu Osasco, na vitória, de virada, por 3 sets a 2 – parciais de 25-19, 23-25, 22-25, 32-30 e 15-11 -, na noite desta quinta-feira (madrugada de sexta-feira), no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema.

O adversário, na semifinal, nesta sexta-feira, às 19h, é o Dentil Praia Clube, que eliminou o Curitiba na partida que abriu a rodada, hoje. A outra semifinal, às 16h30, será entre o Itambé Minas e o Sesc RJ Flamengo. Os dois confrontos serão transmitidos pelo SporTV 2. A rodada tripla na TV termina às 21h30, com EMS/Taubaté/Funvic x Sada/Cruzeiro, pela decisão da Super Copa Masculina, em Campo Grande (MS).

Tandara foi a maior pontuadora da partida, com 30 pontos, e ficoU com o troféu Viva Vôlei.  Polina e Tifanny marcaram 21, Adenízia 18 e Tainara, 16.

Quem gostou do jogo – além da torcida de Osasco – foi o Praia. A partida acabou a 1h da manhã e, certamente, as paulistas estarão mais desgastadas para a semifinal desta sexta após jogar mais de 3 horas e irem dormir de madrugada. Sesi e Osasco se enfrentaram três vezes  em menos de duas semanas e disputaram 16 sets – teve o golden set na final do Estadual.

Tandara foi a maior pontuadora (Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

O Sesi/Bauru jogou sem a sua levantadora titular, a campeã olímpica Dani Lins, que sequer viajou para Saquarema, poupada, com dores lombares. Carol Leite foi a titular e não comprometeu, embora tenha jogado menos com as centrais do que Dani Lins costuma  jogar.

A culpa não foi apenas da Carol. O passe de Bauru não ajudou muito ao longo da partida, mas principalmente no início. Osasco também não foi um primor no fundamento. Tanto, que os dois técnicos terminaram com um time diferente do que começaram. Luizomar sacou Jaque no segundo set para a boa entrada de Gabi Cândido – foi a bola de segurança da Roberta na reta final do quarto set – e Vanessa Janke substituiu Suelle, que não estava sendo efetiva no ataque. Paracatu entrou no lugar de Bia na reta final da quarta parcial e ajudou na virada. Foi mantida no quinto set. Roberta deixou o time para a entrada de Naiane e também voltou no quarto set melhor.

Bauru teve o jogo na mão no quarto set, quando vencia por quatro pontos de vantagem, mas permitiu a virada das rivais, que foram mais consistentes no fundo de quadra e nos contra-ataques. O time teve três match points. No tie-break, Polina, já exausta, não era mais a mesma. E, novamente, o time, nos momentos decisivos, entra no modo Polina-dependência. Tifanny foi melhor do que na final do Paulista – disputada na semana passada, com o título ficando em Osasco. Recuperou a confiança no ataque e foi o desafogo da equipe em alguns momentos.

Tandara fez, novamente a diferença. Mesmo cometendo mais erros que o normal, foi decisiva. Basta saber se o time terá fôlego para encarar o Praia nesta sexta.

Jogaram e marcaram para o Osasco São Cristóvão Saúde: Roberta (4), Tandara (30), Jaque (6), Tainara (16), Mayany (14), Bia (3) e a líbero Camila Brait. Técnico: Luizomar. Entraram: Naiane, Gabi Cândido (11), Kika, Paracatu (3).

Jogaram e Marcaram para o Sesi Bauru: Carol Leite (2), Tifanny (21), Suelle (3), Polina (21), Mara (9), Adenízia (18) e a líbero Brenda Castillo. Técnico: Anderson Rodrigues. Entraram: Fê Isis (1), Vanessa Janke (3), Maria Luiza, Julia

Veja também

Taubaté vence mais uma e segue líder invicto

O EMS Taubaté Funvic segue imbatível na Superliga Masculina Banco do Brasil 2020/21. Na no…