Garay
Home Super Vôlei Garay dita o ritmo do finalista Dentil/Praia Clube
Super Vôlei - 30 de outubro de 2020

Garay dita o ritmo do finalista Dentil/Praia Clube

Time mineiro passou pelo Osasco/São Cristóvão Saúde na semi do Super Vôlei

O sorriso aberto de Fernanda Garay já é uma das marcas da primeira edição do Super Vôlei feminino, em Saquarema. A ponteira brilhou mais uma vez e conduziu o Dentil/Praia Clube para a final da competição ao vencer, neste sexta-feira, o Osasco/São Cristóvão Saúde por 3 sets a 1, parciais de 26-24, 25-22, 23-25 e 25-21.

Assim como nas quartas de final, a campeã olímpica foi eleita a melhor em quadra e faturou o VivaVôlei. Teve um alto percentual de aproveitamento no ataque, além da já conhecida excelência no fundo de quadra. Um início de temporada acima do esperado, visto que Garay teve coronavírus, precisou cumprir o afastamento obrigatório e desfalcou o Praia no Campeonato Mineiro, na semana passada, em Uberlândia. Não parece estar sentindo falta de ritmo de jogo.

Tandara foi a maior pontuador do confronto, com 20 acertos, seguida por Fê Garay, com 18. Tainara e Carol pontuaram 17 vezes e Brayelin Martins, 16. Veja abaixo a pontuação de todas as jogadoras.

Na véspera, diante do Curitiba, Fê Garay já havia dito que não poderia deixar de estar sorridente após voltar a jogar depois de sete meses. Não quis valorizar tanto a atuação individual. Mas, lá no fundo, a ponteira  está satisfeita com seu início de temporada.

Para eliminar o Osasco, que vinha de uma maratona que invadiu a madrugada contra o Sesi Bauru e não tinha Jaqueline, com um problema muscular, o Praia contou com algumas boas passagens pelo saque. No primeiro set, Claudinha ajudou o time a construir a virada, salvando inclusive set point. No segundo, com o placar empatado em 22, Carol foi para o serviço e fez três aces em sequência. No terceiro foi a vez de Walewska desequilibrar.

Praia
Brayelin Martinez no ataque (Wander Roberto/Inovafoto)

No momento do 2 a 0, Osasco também já não contava com Gabi Cândido, substituta de Jaque, que precisou deixar a quadra carregada após um escorregão. O novo piso, com a cor amarela, dificulta atletas e arbitragem de verem pontos molhados pelo suor. Some-se a isso o fato de Saquarema ter uma alta umidade do ar e o Centro da CBV estar ao lado da praia. A quantidade de quedas por conta deste pacote tem sido bem maior do que o normal no Super Vôlei feminino. Um sinal de alerta.

Luizomar tentou montar uma formação com Tandara e Karine juntas, colocou Kika para estabilizar o passe, trocou levantadora, apostou em Ana Medina. Tentou de tudo e foi premiado com uma virada incrível no terceiro set.

Na quarta parcial, o time paulista abriu 3 a 0, dando a impressão de que poderia forçar o tie-break. Mas a virada do Praia foi imediata, fazendo 8 a 4. Fim de jogo? Que nada! O guerreiro Osasco reagiu, fez 13 a 12 e brigou bastante, mas não conseguiu evitar o revés.

Na decisão, neste sábado, às 21h30, o Praia enfrentará o Sesc RJ Flamengo, responsável por eliminar o Itambé/Minas, com transmissão pelo SporTV2.

DENTIL/PRAIA CLUBE:  Claudinha (3), Brayelin Martinez (16), Fê Garay (18), Anne (1), Carol (17), Walewska (15) e a líbero Suelen. Técnico: Paulo Coco. Entraram: Michelle (7), Monique, Mari Paraíba.

OSASCO/SÃO CRISTÓVÃO SAÚDE: Roberta (3), Tandara (20), Gabi Cândido (6), Tainara (17), Mayany (11), Bia (12) e a líbero Camila Brait. Técnico: Luizomar. Entraram: Naiane (1), Kika, Karine (1), Ana Medina.

 

Veja também

Taubaté vence mais uma e segue líder invicto

O EMS Taubaté Funvic segue imbatível na Superliga Masculina Banco do Brasil 2020/21. Na no…