Gabi Cândido
Home Destaques Gabi Cândido fala sobre tratamento do pânico
Destaques - Superliga - 4 de dezembro de 2020

Gabi Cândido fala sobre tratamento do pânico

A ponteira do Osasco/São Cristóvão Saúde Gabi Cândido falou sobre o tratamento da síndrome do pânico, que ano passado a impediu de aceitar a convocação do técnico José Roberto Guimarães para treinar com a Seleção Brasileira que se preparava para a Liga das Nações e a Copa do Mundo de 2019. Ela pediu dispensa e revelou que sofre com a doença.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), a síndrome do pânico atinge entre 2% e 4% da população brasileira. Ela é caracterizada pela ocorrência repentina de crises de ansiedade aguda, acompanhada da sensação de medo e desespero. Muitas pessoas revelam que a sensação é a de que ela vai morrer. Além disso, as crises são seguidas de preocupação constante com a possibilidade de ter novos ataques, dificultando a rotina do dia a dia, seja por medo de perder o controle ou ter um ataque no coração.

Em entrevista ao repórter Alê Oliveira, do SporTV, após a vitória de Osasco por 3 sets a 0 sobre o Sesc RJ Flamengo, na última terça-feira, Gabi Cândido, 24 anos, 1,81m, comemorou a bela atuação – marcou 15 pontos (foi a maior pontuadora do jogo ao lado da oposta Tandara), com 54% de aproveitamento no ataque e 81% de positividade no passe. Com 47% dos votos, a ponteira ficou com o Troféu Viva Vôlei.

– A gente vem trabalhando muito o saque. Mas a nossa defesa e o nosso bloqueio têm funcionado muito bem. Até nos outros jogos a gente tem bloqueado bem. Nos últimos jogos o saque entrou bem pelo momento confiante dos outros jogos – disse Gabi.

A ponteira também falou sobre seu tratamento da síndrome do pânico e disse que vem evoluindo:

– Ano passado eu sentia mais crises. com o passar dos meses, venho fazendo bastante terapia, tenho me concentrado muito nisso para voltar a ter confiança em mim e buscar a minha titularidade. Demorou um tempo ainda para eu voltar a quadra, para eu voltar ficar confiante. Mas é isso aí, não posso relaxar nessa área – completou a jogadora.

Osasco enfrentaria do Dentil/Praia Clube nesta sexta-feira (4.12), pela liderança da Superliga, mas a partida foi adida depois que quatro jogadoras do elenco testaram positivo para o coronavírus – Bia,  Roberta, Kika e Karine. O time paulista tem 18 pontos, mesma pontuação do Praia, mas a equipe mineira leva vantagem por ter melhor saldo de sets. Confira aqui a classificação.

Veja também

Sada Cruzeiro supera o Fiat Minas e segue líder

O Sada Cruzeiro derrotou o Fiat Minas por 3 sets a 0 – parciais de 26-24, 25-18, 25-…