Bauru
Home Superliga Bauru bate o Flu, em noite de estreia de Rabadzhieva
Superliga - 16 de janeiro de 2021

Bauru bate o Flu, em noite de estreia de Rabadzhieva

O Sesi Bauru não teve dificuldades para derrotar o Fluminense por 3 sets a 0 – parciais de 25-17, 25-16, 25-15 – na noite deste sábado, no Panela de Pressão, em Bauru (SP), pela terceira rodada do returno da Superliga Feminina Banco do Brasil 2020/21. A partida marcou a estreia da ponteira búlgara Dobriana Rabadzhieva, que entrou no segundo set no lugar de Vanessa Janke e ficou até o final.

E ela estreou bem. A ponteira marcou 7 pontos (5 de ataque e 2 de bloqueio) e teve 63% de eficiência no ataque – recebeu 8 bolas, colocou 5 no chão, não errou e nem foi bloqueada. Sem dúvida, chega para ser a ponteira de preparação que Bauru não teve, até o momento. Rabadzhieva fez uma boa temporada no Itambé Minas em 2019/20, mas teve pouco tempo para jogar, até que a Superliga fosse paralisada por conta da pandemia do COVID-19. Com o time mineiro, a búlgara foi campeã do Sul-Americano. Neste sábado, entrou com personalidade e a alegria de sempre e provavelmente já vai ser titular na partida contra o Sesc RJ Flamengo, terça-feira, pela Copa Brasil. Veja aqui a tabela. Ela não atuava havia um mês, desde que encerrou a sua participação no Campeonato Chinês.

O campeão olímpico e ex-capitão da Seleção Brasileira, Nalbert, disse que a entrada de Rabadzhieva muda o Sesi de patamar na temporada: “A Rabadzhieva é o tipo de jogadora que “arruma” qualquer time. Talvez fosse a peça que estava faltando para o Sesi Bauru da um salto de qualidade. Aposto no crescimento deste time”, disse o ex-jogador, atualmente comentarista do SporTV.

O resultado fez Bauru subir da quinta para a terceira posição, com 31 pontos, empatado com o Dentil Praia Clube, que é quarto na tabela e tem um jogo a menos (14 x 13). O Itambé Minas lidera a Superliga com 36 pontos (13 jogos), mesma pontuação do vice-líder Osasco (14 jogos). O Sesc RJ Flamengo é o quinto, com 30 pontos, mas também com um jogo a menos que Bauru. Confira aqui a classificação.

Tifanny foi a maior pontuadora do jogo, com 23 pontos e ficou com o Troféu Viva Vôlei, mas repassou o prêmio para a líbero Brenda Castillo. O destaque do Fluminense foi a ponteira Mayara, que pontou 9 vezes.

Ainda não foi desta vez que a campeã olímpica Mari estreou na Superliga, com a camisa Tricolor. Ela segue se recuperando de uma lesão na região lombar. O Fluminense não ofereceu nenhuma resistência ao rival. Teve dificuldades no passe e na virada de bola e segue na vice-lanterna, com 9 pontos.

No Sesi Bauru, Dani Lins conseguiu distribuir bem, colocando todas as jogadoras para jogar. Rubinho optou por começar o jogo com a dupla de centrais dos últimos jogos – Mara e Fê Ísis. Adenízia, que recupera-se de lesão, entrou a partir do segundo set e marcou 7 pontos. Mara pontuou 5 vezes, e Fê Ísis, 2. A oposta Polina Rahimova foi menos acionada que o normal. Recebeu 20 bolas e colocou 10 no chão. Ela marcou 11 pontos no total – fez um ponto de bloqueio. Vanessa Janke deixou a quadra para a entrada de Rabadzhieva após marcar 3 pontos.

Veja também

Taubaté sofre, mas vence o Vôlei Renata no tie-break

Quando saiu a escalação do Vôlei Renata, sem três titulares – Gonzalez, Vaccari e Vi…