George
Home Praia George: “Eu e André já temos em mente a Olimpíada de Paris”
Praia - 4 de fevereiro de 2021

George: “Eu e André já temos em mente a Olimpíada de Paris”

Jogador de 24 anos é um dos destaques do cenário nacional

George, 24 anos é atual campeão do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, ao lado parceiro do André Stein. Reconhecido pela técnica apurada, ele é um dos destaques do cenário nacional, fazendo da dupla uma das favoritas para defender o país nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024..

Extremamente bem humorado e carismático,  George falou ao site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) sobre seu jeito descontraído, o dia a dia, a parceria com André, o namoro com a também atleta de vôlei de praia, Andressa, e os planos para o futuro.

Você tem um jeito descontraído, espontâneo e isso tem gerado uma simpatia grande por parte dos torcedores. Esse é o seu jeito no dia a dia mesmo? Você está sempre de bom humor?
Realmente eu sou assim. Tento sempre estar bem humorado e deixar os meus problemas de lado. Acho que isso me ajuda a ficar bem mais leve no dia a dia e conseguir lidar com todas as dificuldades que temos dentro da nossa rotina de treinos e campeonatos.

A parceria com o André vem rendendo ótimos frutos. Imagino que a relação de vocês seja muito boa também fora das quadras. O que mais te agrada no André e o que ele, como mais velho, te ensina todos os dias?
Acho que aprendi muito com o André, principalmente na parte dos treinos. Ele é um cara que dá 100% em tudo que faz e isso foi algo que acabei aprendendo com ele e sinto que me ajudou bastante no meu rendimento individual. Ele é muito calmo e paciente, mas sabe ser incisivo nas horas que precisa dar uma chamada e isso é bem bacana para o meu crescimento profissional.

Jogar vôlei de praia significa o que na sua vida?
Jogar vôlei de praia para mim é uma diversão na verdade. Eu amo jogar e amo o clima de competição, de querer ganhar da outra pessoa, independentemente de ser um torneio oficial ou apenas uma pelada com os amigos. Hoje eu posso fazer aquilo que eu amo e ainda posso ganhar a vida com isso. Me sinto muito sortudo por fazer o esporte que eu amo como meu trabalho diário.

E quando não está treinando/jogando… O que você mais gosta de fazer como lazer?
Nas horas de lazer eu geralmente estou jogando algo também (risos). Gosto muito de videogames e animes, e acabo intercalando muito entre os dois nas horas vagas. Antes de toda essa pandemia eu costumava ir mais ao cinema e restaurantes com minha namorada, mas hoje evitamos isso por conta das circunstâncias.

Estar próximo do André e namorar uma atleta também de vôlei de praia deve deixar sua vida praticamente o tempo inteiro voltada para este assunto… É assim mesmo?
É, sim (risos). Não só o André e Andressa, mas toda minha família ama vôlei de praia, inclusive temos uma quadra dentro de casa. Minha vida toda gira em torno do vôlei de praia e isso é algo muito legal. Às vezes você acaba estando um pouco cansado de tudo ser só vôlei, mas minha família sabe balancear muito bem isso e entende que em alguns momentos temos que dar um tempinho do vôlei (mais por minha causa do que por causa deles, claro).

E o que você espera do seu futuro? Como você se vê até 2024?
Acho que daqui até 2024 pode acontecer muita coisa. Eu e André já temos em mente a Olimpíada de Paris desde agora e já conversamos sobre ficarmos juntos até lá. Esperamos manter o nosso trabalho como vem sendo feito e dar nosso máximo para estar dentro dos times que irão representar o Brasil lá.

 

Veja também

Civitanova perde e se complica na Champions

O Civitanova se complicou na abertura dos playoffs da Champions League. Mesmo jogando na I…