Maria Elisa
Home Praia Maria Elisa divide maternidade com a volta ao vôlei
Praia - 18 de fevereiro de 2021

Maria Elisa divide maternidade com a volta ao vôlei

Seis meses e meio depois do nascimento de Lucca, ela volta a disputar um jogo oficial

Em 2020, Maria Elisa tinha planos claros em mente: ser mãe, terminar a faculdade de Educação Física e tocar seus projetos fora das quadras. Exercícios, só para recuperar a forma física de antes da gravidez. Mas o destino tinha outra ideia. Nesta sexta-feira, seis meses e meio depois do nascimento de Lucca, ela volta a disputar um jogo oficial, na sétima etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. Ao lado dela, Talita, parceira com quem disputou as Olimpíadas de Londres em 2012.

– Eu não pensava em voltar a jogar. Na verdade, meu plano era terminar minha faculdade – termino no final de 2021 –, ajudar a Ana Patrícia e Rebecca com patrocínios, alavancar minha escolinha de vôlei e ser mãe. Eu voltei a malhar com um mês (do nascimento) e voltei a treinar duas vezes na semana apenas com dois meses. Meu intuito era voltar o meu corpo o mais rápido possível. Quando eu vi, estava jogando novamente de uma forma que me empolgou – contou Maria Elisa.

A primeira parte do plano, ser mãe, foi realizada no dia 27 de julho de 2020, quando nasceu Lucca. Agora, ela divide sua rotina entre a quadra de vôlei de praia e cuidar do filho. Motivação extra para ela.

– Eu estou na minha plenitude. Nunca poderia imaginar que um serzinho tão pequeno poderia me dar tanta força para tantas coisas. Retomar os torneios com ele na minha vida tem sido um combustível maravilhoso, mesmo com o trabalho que todo bebê dá. Eu me preparei muito para querer este trabalho.

Maria Elisa garante que não sentiu saudade enquanto esteve distante das quadras. Para ela, o importante mesmo era realizar o sonho de ser mãe. Além disso, a amizade com Rebecca e Ana Patrícia fez com que ela montasse uma equipe para ajudar a dupla olímpica na busca por patrocínios, o que a manteve perto do esporte durante a gravidez. Fora acompanhar as partidas de Talita e Carol Solberg, que já tinham jogado com ela.

– Eu estava fora das quadras, mas muito feliz em poder ajudar a Ana Patrícia e Rebecca. Montamos uma equipe bacana para buscar patrocínio para elas, indiquei minha assessora de imprensa e ficou mais profissional e atrativo o conteúdo e imagem delas. Acho que o atleta que vai para as Olimpíadas precisa fazer o que ele sabe de melhor e deixar que os profissionais de cada área ajudem da melhor forma possível. E eu adorava assistir a Carol e a Talita juntas, que foram minhas parceiras. Era nostálgico ver. Fui campeã brasileira com as duas. Mas saudade não senti não, porque eu só queria ser mãe – destacou.

Talita, aliás, volta a ser dupla de Maria Elisa após nove anos. As duas jogaram juntas de 2009 a 2012, incluindo um título do Circuito Brasileiro, um bronze no Campeonato Mundial e a participação nos Jogos Olímpicos de Londres. Chegaram a jogar juntas novamente em 2013 no World Cup Final e conquistaram a competição.

– Eu e a Talita vivenciamos coisas diferentes, com parceiras diferentes, ao longo destes anos e amadurecemos bastante com nossos erros e acertos. Conquistamos muitas coisas juntas e separadas. Temos nossos filhos e muita vontade de conquistar para eles. Hoje olhamos o vôlei de uma forma mais leve, buscando a felicidade no dia a dia e não só nas vitórias – contou Maria Elisa.

Como ainda preserva parte da pontuação que tinha antes da gravidez, como previsto por regulamento, Maria Elisa e Talita tem vaga garantida na chave principal da sétima etapa do Circuito Brasileiro, com 24 duplas divididas em seis grupos com quatro parcerias cada.

A disputa da fase de grupos começa às 8h desta sexta-feira, e todos os jogos serão transmitidos. Os fãs poderão acompanhar cada confronto por meio do site voleidepraiatv.cbv.com.br, na fanpage da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) no Facebook, no aplicativo da CBV, e, a partir das semifinais, no sábado, exclusivamente nos canais SporTV.

Veja também

Sada Cruzeiro não dá chances ao Ribeirão

Líder isolado da Superliga masculina, o Sada Cruzeiro chegou à 15ª vitória pelo placar de …