Sesc RJ Flamengo
Home Superliga Sesc RJ Flamengo vira e vence o Brasília
Superliga - 8 de fevereiro de 2021

Sesc RJ Flamengo vira e vence o Brasília

O Sesc RJ Flamengo perdeu o primeiro set, mas virou, derrotou o Brasília e subiu da quinta para a quarta posição na Superliga

O Sesc RJ levou um susto e precisou suar muito a camisa para virar e vencer o Brasília por 3 sets a 2 – parciais de 20-25, 25-21, 25-23, 19-25, 15-13 – na noite desta segunda-feira (08.02), no Ginásio do Sesi Taguatinga, no Distrito Federal, em partida válida pela primeira rodada do returno da Superliga Feminina 2020/21 e adiada por causa dos surtos de covid nos dois times.

O resultado fez o time carioca, que vinha de uma derrota para o São Paulo Barueri por 3 a 0, subir da quinta para a quarta colocação, com 35 pontos em 16 jogos – um ponto a mais que o Sesi Bauru, quinto na tabela, com uma partida a menos.

O Itambé Minas lidera, com 42 pontos, seguido por Dentil Praia Clube (37) e Osasco São Cristóvão Saúde (36). Minas e Osasco se enfrentam nesta terça-feira, às 19h, no José Liberatti. O Brasília subiu da oitava para a sétima colocação, com 17 pontos, empatado com o Curitiba, mas com uma vitória a mais. A equipe do Distrito Federal, no entanto, tem 16 jogos, contra 13 das paranaenses. Confira aqui a classificação completa. 

Merecidamente, a central Valquíria foi eleita a melhor em quadra e faturou o Troféu Viva Vôlei. A oposta Ariane, do Brasília, foi a maior pontuadora do jogo, com 31 pontos e 46% de aproveitamento no ataque. Outros destaques da equipe da casa foram a ponteira Paula, com 16 acertos e a central Aline, com 12. Isabela Paquiardi contribuiu com 10 pontos e Edna com 8.

Sesc RJ Flamengo
(Nadine Oliver/Divulgação)

Valquíria foi a segunda maior pontuadora do Sesc RJ Flamengo, com 17 pontos e 74% de aproveitamento no ataque. Amanda pontuou 18 vezes (59%), Juciely 17 (60%), Lorenne 16 (36%), Gabiru 5 (31%) e Ana Cristina, 3 (25%).

O Sesc RJ Flamengo foi comandado nesta segunda pelo assistente técnico Hélio Grinner. O técnico Bernardinho testou positivo para o coronavírus na última quinta-feira e está em tratamento. No Brasília, os desfalques, também por covid, foram as ponteiras Neneca e Ingrid.

O Flamengo começou com a sua formação titular – Fabíola, Lorenne, Juciely, Valquíria, Amanda, Ana Cristina e Camila Gomez -, mas no segundo set Ana Cristina deu lugar a Gabiru para melhorar o fundo de quadra e a ponteira ficou até o final.

O time do Distrito Federal comandou o tie-break até o décimo ponto até que, numa boa passagem de Valquíria no saque, a equipe carioca virou em 11 a 10 e ampliou em 12 a 10 num erro de ataque de Ariane e administrou a vantagem até o final.  Fabíola distribuiu melhor que nos outros jogos, jogando bem mais com as suas centrais e aproveitando a ótima fase de Valquíria. E essa foi a diferença a favor das cariocas. As ponteiras dos dois times marcaram 26 pontos cada. No duelo de opostas ficou 31 a 17 para o Brasília. E, no tira-teima entre as centrais, foram 34 pontos das meios do Rio contra 20 das de Brasília. As donas da casa também erraram um pouco mais: 28 a 25.

O Sesc RJ Flamengo volta a jogar na próxima sexta-feira no clássico contra o Osasco, às 19h, no Ginásio Hélio Maurício, no Rio, com transmissão pelo SporTV. No mesmo dia, Brasília recebe o Fluminense, às 20h, em seu ginásio, com transmissão pelo Canal Vôlei Brasil. Veja aqui os jogos da rodada e as transmissões.

 

Veja também

Honorato desequilibra e Minas vence o Uberlândia

Com 20 pontos do ponteiro Honorato, o Fiat Minas derrotou o Azulim Gabarito Uberlândia por…