Weber
Home Destaques Weber: “Melhor jogo do ano na segunda final”
Destaques - Entrevista - 23 de abril de 2021

Weber: “Melhor jogo do ano na segunda final”

Técnico argentino fez um balanço positivo da temporada do EMS/Taubaté

Javier Weber chegou em Taubaté em meados de 2020 com uma árdua missão: substituir Renan Dal Zotto, técnico da Seleção Brasileira, que assumira o EMS/Taubaté/Funvic para conquistar seu primeiro título de Superliga naquele ano.

Com um elenco selecionável, o experiente treinador argentino implantou sua filosofia de jogo e levou Taubaté a ter sua temporada mais vitoriosa em número de finais e conquistas. A equipe chegou à decisão de todas as cinco competições que disputou, conquistando três troféus – Super Vôlei, Supercopa e Superliga.

Em entrevista, Weber comentou sobre o rendimento da equipe nas semifinais e finais em Saquarema, sobre a evolução do time e destacou que os planos para sua segunda temporada à frente do EMS/Taubaté Funvic. Veja aqui as mudanças que estão sendo feitas no elenco para 2021/2022.

AS FINAIS CONTRA O FIAT/MINAS

Foram duas partidas completamente diferentes. Na primeira nós passamos por alguns problemas, tivemos momentos não tão bons, mas conseguimos achar as soluções, impor nosso jogo e confirmar a vitória. Na segunda final nós fizemos o melhor jogo do ano, no meu ponto de vista. Em todos os sentidos, mental, técnico e tático. Nós jogamos um jogo perfeito do primeiro ao último ponto. Sinto muito prazer em falar isso, em ver esse pico de produtividade sendo alcançado na final. E ter um elenco qualificado ajudou muito, sem dúvidas. No primeiro jogo da final o Maurício Borges não foi tão bem, foi substituído. No segundo jogo o Felipe Roque não estava tão bem, foi substituído. E quem entrou deu conta e manteve o ritmo e o volume de jogo que nós precisávamos. Esse conjunto e coesão do elenco foi o mais importante.

CRESCIMENTO NAS FINAIS

Se falarmos em estatísticas, o nosso time melhorou em todos os fundamentos nas fases semifinal e final da Superliga. Como exemplo, falo do saque. Vínhamos com uma porcentagem de erros de saque em 18% na temporada. Nas finais, isso caiu pra 15%, o que gerou um resultado aparente em quadra e ajudou demais a construir nossas vitórias. Vínhamos com 10% de acerto no saque, e isso subiu para 14%. Na efetividade de ataque, tínhamos 55%, e nas finais isso subiu para 60%. Então essa análise em números prova que o time se superou nas decisões. Chegamos em cinco finais, ganhando três títulos nacionais, culminando com a conquista da Superliga em uma série final espetacular. Fico muito orgulhoso da minha equipe.

BALANÇO

Foi uma temporada duríssima, porque tivemos de nos acostumar a jogar sem público, até mesmo a adaptação de não haver a troca de lado na quadra ao final de cada set, isso tivemos de nos acostumar também. E os adversários foram bem duros, Sada Cruzeiro, Minas, Vôlei Renata, todos colocaram dificuldades no nosso caminho, mas o Taubaté se superou. Nosso time começou a temporada de um jeito, e terminou de outro, muito melhor. Isso para um técnico é muito bom, ver a evolução de seus atletas coletiva e individualmente.

PRÓXIMA TEMPORADA E RENOVAÇÃO DO ELENCO

Estou muito feliz com o acolhimento que tive aqui, feliz com o projeto e o planejamento do clube, com a estrutura que temos aqui. Taubaté hoje é uma marca no vôlei mundial. Fico orgulhoso de seguir como comandante dessa marca para a temporada 2021/2022. Estamos planejando a temporada com um trabalho para renovar o contrato de boa parte dos atletas campeões este ano, mantendo assim uma base sólida. Nossa ideia é manter um time base e ajustar as necessidades de acordo com o mercado atual, suprindo dessa forma as lacunas que os atletas que estão saindo vão deixar. Nosso trabalho está focado em fazer a reformulação natural que acontece sempre que há o final de uma temporada, mas buscando manter o patamar de um time que brigará por finais e títulos na temporada 2021/2022.

AGRADECIMENTOS

Gostaria de agradecer muito aos jogadores do elenco campeão, a comissão técnica que fez um trabalho excepcional, a Funvic, aos patrocinadores e a Prefeitura de Taubaté. Essa temporada foi claramente um trabalho em equipe. Quando se fala em jogar em equipe, não é só quem está dentro da quadra, mas toda uma estrutura, uma engrenagem que tem de funcionar bem nos bastidores e no suporte dado ao clube. Agradeço também as torcedores que, mesmo sem poder estar nos jogos conosco, fazem parte da nossa família e mandaram muito apoio mesmo de longe.

Veja também

Brasil pelo mundo: destaques do fim de semana (24 a 26/9)