Vakifbank
Home Internacional Conegliano, com 41 pontos de Egonu, vence a Champions
Internacional - 1 de maio de 2021

Conegliano, com 41 pontos de Egonu, vence a Champions

Final da Champions foi disputada na cidade italiana de Verona

Definitivamente temos uma dinastia em construção no vôlei feminino mundial. O Conegliano conquistou, neste sábado, em Verona (ITA), o título da Champions League 2020/2021 com a 64ª vitória consecutiva diante do valente Vakifbank por 3 sets a 2, parciais de  22-25, 25-22, 23-25, 25-23 e 15-12.

E com uma contribuição monstruosa, mais uma vez, de Paola Egonu. O fenômeno italiano terminou o jogo com 41 pontos: 39 no ataque, com aproveitamento de 55%, um no saque e um no bloqueio.

Incrível como Egonu cresce nos momentos decisivos. Foi assim no fim do quarto set e em grande parte do tie-break. É verdade que o número de erros dela também é alto (foram 14 hoje), o que ainda permite um crescimento dela na carreira, algo que chega a ser assustador para os rivais. Qual seria o teto para Egonu, de apenas 22 anos? Muito difícil dizer.

O Vakifbank esteve perto de fazer o que nenhum time consegue desde dezembro de 2019. Teve uma atuação coletiva equilibrada, contando com uma linha de passe consistente em grande parte da decisão, muito volume de jogo e o brilho individual da oposto sueca Isabelle Haak. Foram 33 pontos dela na final, 31 no ataque, com aproveitamento de 40%, um no saque e um no bloqueio.

Era essencial para o Vakifbank ter sua principal atacante com uma atuação eficiente ofensivamente. Contra Egonu, é preciso ter um antídoto do outro lado. Sabe-se que ela vai passar dos 30 pontos em um jogo de quatro sets e beira os 40 com o tie-break, como realmente aconteceu. E Haak quase conseguiu. Ela perdeu eficiência no quinto set, o que custou caro para as turcas.

A dupla de ponteiras do Vakifbank fez um um bom trabalho. Gabi e Bartsch somaram 27 pontos (14 e 13 respectivamente), além de bons números no passe: 60% e 69%.

Pelo Conegliano, uma boa coadjuvante foi a central holandesa De Kruijf. Ela terminou com cinco pontos no bloqueio, perto do total do Vakifbank na final: sete. Ela ainda somou mais seis no ataque, com 60% de aproveitamento. O destaque negativo foi Sylla, com apenas três pontos no jogo, um de ataque e míseros 12% de acerto, sendo substituída por Adams.

Conegliano: Wolosz, Egonu, Hill, Sylla, Folie, De Kruijf e De Gennaro (líbero). Entraram: Adams, Gennari, Caravelo. Técnico: Danielle Santarelli.

Vakifbank: Ognjenovic, Haak, Gabi, Bartsch-Hackley, Rasic, Gunes e Aykac (líbero). Entraram: Ozbay, Ylmaz, Ismailoglu. Técnico: Giovanni Guidetti.

Veja também

Brasil viajará com 16 jogadores para Rimini

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) confirmou, na tarde desta segunda-feira, o elenco…