Brasil
Home Liga das Nações Brasil joga mal, perde para a Rússia e pensa na França
Liga das Nações - 23 de junho de 2021

Brasil joga mal, perde para a Rússia e pensa na França

O Brasil já estava classificado e a Rússia já eliminada, mas ainda assim, em nome da eterna rivalidade, entraram em quadra nesta quarta-feira para vencer, em Rimini, na Itália. Deu Rússia, que ao menos se despediu de maneira honrosa e ganhou por 3 sets a 0 – parciais de 25-21, 28-26, 25-20 -, no encerramento da fase classificatória da Liga das Nações Masculina de Vôlei. Apesar da derrota a Seleção Brasileira terminou a fase na primeira colocação, com 13 vitórias em 15 jogos. Confira a classificação da VNL. O Brasil entrou em quadra em ritmo lento e pagou o preço. Contra a França, a postura terá de ser diferente.

Os confrontos das semifinais foram definidos antes da partida começar. Com a vitória da Eslovênia por 3 a 0 sobre a Bulgária, o G4 foi fechado com Brasil, Polônia, Eslovênia e França. Os franceses serão os adversários dos brasileiros no sábado, às 6h30 (de Brasília) e poloneses e eslovenos vão disputar a outra vaga na final no mesmo dia, às 10h. A final será no domingo. Veja aqui a programação de transmissão da Liga das Nações no SporTV nesta semana.

Nesta quinta-feira, a Seleção Brasileira Feminina volta à quadra, pela semifinal, contra o Japão, a partir das 11h (horário de Brasília). Às 14h30, Estados Unidos e Turquia disputam a outra vaga na decisão. Brasil e EUA podem reeditar a final da Liga das Nações de 2019, vencida pelas norte-americanas por 3 sets a 2.

O oposto russo Mikhaylov teve grande atuação e foi o maior pontuador do jogo, com 14 pontos. Kliuka fez 13. Pelo Brasil, Wallace terminou a partida com 10 acertos, seguido por Lucarelli, com 7.

O técnico Carlos Schwanke escalou o Brasil com sua força máxima, já pensando em dar ritmo de jogo para a partida contra a França. Os titulares foram: Bruninho, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli, Leal e Thales. No terceiro set, no entanto, o time quase toda trocada. Entraram: Cachopa, Alan, Flávio, Isac, Maurício Borges e Douglas Souza. Apenas Thales foi mantido.

Não foi um dia inspirado na Seleção, que sofreu com o passe, não conseguiu marcar os ataques adversários e teve dificuldade de passar pelo bom bloqueio russo. Marcou apenas 4 pontos de block, contra 9 dos rivais.

Depois de um primeiro set muito abaixo do normal no side out, Lucarelli e Leal subiram de produção na virada de bola na segunda parcial e o Brasil cresceu junto, comandando o placar até o 21 a 19, quando Mikhaylov foi para o saque e só saiu de lá no 23 a 19. A Seleção conseguiu virar e ter o set point em 24 a 23 após boa passagem de Lucarelli no passe, mas novamente o saque russo fez a diferença para fechar a parcial em 28 a 26.

No terceiro set, com os reservas em quadra, a Seleção continuou sem conseguir marcar o ataque russo, que fez estrago na quadra brasileira. E os problemas na recepção seguiram. A Rússia abriu 11 a 6, mas depois o Brasil conseguiu equilibrar em 15 a 14, com boa atuação de Douglas Souza, que novamente entrou bem. Mas, os atuais campeões olímpicos não conseguiram manter a regularidade, errando muitos saques e a Rússia voltou a abrir vantagem de quatro pontos no placar: 20 a 16 e manteve a diferença até fechar o set em 25 a 20.

 

Veja também

Fluminense anuncia três novos patrocinadores

O time feminino de vôlei do Fluminense tem três novos patrocinadores para a temporada 2021…