Brasil
Home Liga das Nações Com mudanças, Brasil joga bem e supera a Bulgária
Liga das Nações - 10 de junho de 2021

Com mudanças, Brasil joga bem e supera a Bulgária

O Brasil venceu sua sétima partida na Liga das Nações e se prepara para encarar a Polônia, nesta sexta-feira

Mesmo com uma formação inédita, diferente de todas as escalações feitas até então na Liga das Nações Masculina de Vôlei e com apenas Lucarelli do time considerado titular em quadra, o Brasil manteve o bom nível e derrotou a Bulgária por 3 sets a 0 – 25-16, 25-22, 25-12 -, na tarde desta quinta-feira, em Rimini, na Itália, pela oitava rodada da fase classificatória da VNL 2021. O resultado manteve o time ao menos na vice-liderança – vai depender do resultado da partida da líder Polônia contra a Holanda, que acontece às 16h. Veja aqui a programação do SporTV para os jogos da Liga as  Nações nesta semana.

O Brasil entrou em quadra com: Cachopa, Alan, Flávio, Isac, Lucarelli, Douglas Souza e Maique (líbero). Foi a primeira vez que Maique começou como titular e atuou sem revezar com Thales, jogando tanto defendendo quanto passando, e foi bem. Melhor passador da última Superliga, o jogador do Fiat Minas jogou com segurança e fez grandes defesas. Vaccari entrou. A Bulgária também jogou com um time alternativo, sem seus principais atacantes: Sokolov e Atanasov, poupados.

A boa vitória dá confiança para a Seleção Brasileira enfrentar a rival Polônia nesta sexta-feira, às 16h (horário de Brasília), no encerramento da terceira rodada, com transmissão pelo SporTV.

Brasil
Flávio marcou 10 pontos (FIVB/DIVULGAÇÃO)

Lucarelli foi o maior pontuador do jogo, com 15 pontos, seguido por Flávio e Alan, ambos com 10. Pela Bulgária, Parapunov e Asparuhov pontuaram 8 vezes cada um. Outros destaques do time brasileiro foram: Douglas Souza, com 8 pontos, Isac, com 5, e Vaccari e Cachopa, com 2.

O Brasil cometeu 14 erros, contra 23 dos búlgaros. Fez também 10 pontos de saque, enquanto os europeus marcaram apenas um. Cada time marcou 4 pontos de bloqueio.

O Brasil jogou solto, o que chamou a atenção, já que trata-se de uma formação que nunca havia jogado junta. Foi eficiente em todos os fundamentos, no saque e no ataque, principalmente. Carlos Schwanke segue dando rodagem ao banco. Vaccari entrou na reta final do terceiro set no lugar e Lucarelli e foi bem. Foi a melhor atuação de Flávio na competição – ele já havia jogado bem no último set da vitória por 3 a 0 sobre a Holanda, na quarta-feira -, marcando três, dos quatro pontos de bloqueio da Seleção.

A expectativa é que, nesta sexta-feira, Schwanke retorne com o time titular contra a Polônia.

 

 

 

 

Veja também

Brasília anuncia levantador cubano Goide

Um das novidades na elite do vôlei masculino brasileiro na temporada 2021/2022, o Brasília…