Sylla
Home Destaques Sylla volta em vitória da Itália sobre a Coreia
Destaques - Tóquio-2020 - 22 de julho de 2021

Sylla volta em vitória da Itália sobre a Coreia

Itália venceu a Coreia do Sul, de Lavarini, por 3 sets a 1

Capitã da seleção italiana feminina de vôlei, Sylla voltou a jogar nesta quinta-feira. A ponteira e capitã da Azzurra entrou no terceiro set no amistoso contra a Coreia do Sul, vencido por 3 sets a 1, parciais de 25-16, 25-14, 25-27 e 25-22, o último antes da estreia na Olimpíada de Tóquio. Ela havia torcido o tornozelo durante os amistosos com a Sérvia, em Belgrado.

Sylla marcou nove pontos, sendo a terceira maior pontuadora da Itália. A oposto Egonu, como sempre, liderou o time com 22 acertos. E olha que ela não começou jogando, substituída por Sorokaite no time titular. A ponteira Pietrini colaborou com dez.

Já entre as coreanas, dirigidas pelo italiano Stefano Lavarini, Kim Yeon-Koung fez 12 pontos.

A Itália abriu mão de usar as principais jogadoras na Liga das Nações, em Rimini, e ficou treinando. Antes de chegar ao Japão, realizou três amistosos contra a Sérvia (perdeu todos no tie-break). Já na terra dos Jogos, enfrentou Brasil e Coreia, vencendo ambos por 3 a 1, nesta semana.

– Começaremos os Jogos como queríamos: estamos bem do ponto de vista físico. Certamente temos de jogar para encontrar aquele ritmo que falta um pouco neste momento. Acredito que o nosso jogo melhorará de forma crescente, porque a equipe tem capacidade e qualidade – disse o técnico Davide Mazzanti, já projetando a estreia na Olimpíada, contra a Rússia, no sábado, às 21h (de Brasília).

– A partida contra a Rússia será difícil desde o início porque acho que não será fácil abrir o torneio contra uma equipe tão difícil. Será importante controlar a emoção da estreia e tentar quebrar o gelo o mais rápido possível – comentou Mazzanti, que usou nesta quinta-feira as 12 jogadoras disponíveis.

Já a Coreia do Sul será a rival do Brasil na estreia na Olimpíada, no domingo, às 9h45.

Veja também

Análise: Perdeu feio sim. Mas não é terra arrasada

A derrota da Seleção Brasileira masculina para os russos foi impactante mesmo. O placar de…