Dentinho
Home Destaques Dentinho, irmão de Marco Freitas, vira assistente do Flu
Destaques - Superliga - Vaivém - 29 de agosto de 2021

Dentinho, irmão de Marco Freitas, vira assistente do Flu

Marcelo Freitas tem longa experiência no vôlei de praia, ao lado do irmão e comentarista

A reformulação no Fluminense para a temporada 2021/2022 foi grande dentro e também fora de quadra. Além do elenco muito alterado, o Tricolor também apostou na renovação da comissão técnica do time feminino de vôlei. O treinador Guilherme Schmitz terá no seu staff Marcelo Freitas, o Dentinho, irmão de Marco Freitas, comentarista dos Canais Globo (confira entrevista de Marco ao Web Vôlei).

Marcelo acumula os cargos de supervisor e assistente. Ele foi atleta profissional até começar a trabalhar com seu irmão Marco Freitas. No vôlei de praia, participaram da conquista de duas medalhas olímpicas: a prata com Adriana Samuel/Mônica, em Atlanta-1996, e o bronze com Sandra/Adriana Samuel, em Sydney-2000. Nos Jogos de Londres-2012, o assistente ainda alcançou o quinto lugar com a dupla Ricardo/Pedro Cunha. Depois de uma passagem pela Itália, Dentinho voltou para o Brasil e trabalhou com atletas renomados, como Alison e Nalbert.

Na quadra, ele comandou o time infanto-juvenil do Fluminense em 1999 e 2000, antes de ser auxiliar do técnico Marco Aurélio Motta na Seleção Brasileira feminina. Também coordenou a base do Flamengo e, antes de retornar ao Fluminense, trabalhou quatro anos no time masculino do Sesc, de 2016 a 2020.

– Já tinha sido atleta e técnico do Fluminense e está sendo um prazer enorme retornar ao clube. O Guilherme é um baita treinador, a comissão técnica está bem integrada, o grupo de atletas é leve e com muita vontade de evoluir. Estou muito feliz com essa volta à casa – disse Dentinho.

Depois de substituir Hylmer Dias no decorrer da última temporada, Guilherme Schmitz falou da montagem da CT, que conta ainda com Abel Martins (assistente), Claudio Motta (coordenador operacional), Rafael Jesus (preparador físico), Tobias Fares (analista de desempenho), Gustavo Campos (médico e fisioterapeuta), além dos auxiliares de quadra Dennys Gomes, Gabriel Oliveira, Alexandre de Miranda e Rafael Rodriguez.

– Montamos a comissão técnica que consideramos ideal. Dentro do nosso conceito de mudança, era importante arrumar nossa casa por fora e não apenas dentro de quadra. Entendemos que também precisávamos melhorar a logística, a velocidade de ação nos bastidores, entre outros pontos. Formamos uma equipe de qualidade para entregar um trabalho muito bem feito – explicou o técnico Guilherme Schmitz.

Veja também

Bernardinho e Venturini entram para o Hall da Fama

O Brasil terá mais dois representantes no Hall da Fama do vôlei. O técnico Bernardinho e a…