FIVB
Home Destaques FIVB explica testes nas regras durante o Mundial
Destaques - Internacional - Mundial de Clubes - 8 de dezembro de 2021

FIVB explica testes nas regras durante o Mundial

Mudanças também serão testadas na competição feminina, em Ankara (TUR)

A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) usa os Mundiais de Clubes de 2021 como laboratório para testar e, talvez, alterar três regras da modalidade.

As novidades foram vistas pela primeira vez nesta terça-feira, em Betim, na rodada inaugural do Mundial masculino: cronômetro com contagem regressiva para o saque, nova delimitação para reservas e limite de pedidos de tempo por set. Elas serão repetidas em Ankara, na Turquia, entre 15 e 19 de dezembro, no Mundial feminino.

Segundo a FIVB, todos os dados de teste e feedback serão avaliados e então compartilhados com as Comissões da FIVB, bem como o Comitê Executivo e o Conselho de Administração para uma tomada de decisão no futuro.

O teste da nova delimitação do campo de jogo tem os bancos de equipes e áreas de aquecimento localizadas em frente à câmera de TV principal. De acordo com a entidade, “para colocar mais foco nos jogadores, capturar as reações e emoções das equipes e criar um conteúdo mais envolvente para os fãs”.

Já o cronômetro de saque de 15 segundos é controlado pelo primeiro árbitro, entre o fim de uma jogada e saque seguinte. Um jogador tem sete segundos para ficar pronto para sacar e oito segundos para concluir o serviço. O principal objetivo deste teste é acelerar o jogo e evitar atrasos entre os rallys. Se o jogador não conseguir executar o serviço dentro do tempo determinado, a ação será considerada uma ‘falta’ e o ponto será concedido à equipe adversária.

Outro teste com impacto no tempo de jogo é a limitação de apenas um pedido de tempo (de 30 segundos) por set para cada equipe. Durante as partidas do Campeonato Mundial, um tempo técnico de um minuto nos sets 1, 2, 3 e 4, acontece quando uma equipe chega a 12 pontos.

 

Veja também

Kelsey Robinson está de volta ao Conegliano

Os grandes clubes italianos estão “famintos” no mercado de transferências do v…