Osasco Mercado
Home Superliga Osasco vence o Fla de virada e Ceren dá o nome
Superliga - 21 de janeiro de 2022

Osasco vence o Fla de virada e Ceren dá o nome

Osasco derrotou o Sesc RJ Flamengo de virada, no Liberatti. Ceren entrou no segundo set e teve atuação destacada

Com grande atuação da ponteira/oposta turca Ceren Kapucu, 28 anos, 1,90m, estreante da noite, o Osasco São Cristóvão Saúde derrotou o Sesc RJ Flamengo por 3 sets a 1, de virada – parciais de 22-25, 25-20, 25-18, 25-20 -, nesta sexta-feira (21.01), diante de um José Liberatti lotado, para manter a vice-liderança da Superliga Feminina de Vôlei 2021/22, com 27 pontos em 12 partidas – sete pontos a menos que o líder Dentil Praia Clube que, no entanto, já jogou 14 vezes na competição até o momento.

O Sesc RJ Flamengo sofreu a sua sexta derrota. Ocupa a sétima colocação, com 19 pontos e, na segunda-feira, amargou a eliminação nas quartas de final da Copa Brasil com a derrota para o Sesi Bauru. Osasco tem apenas uma derrota, para o Praia, no turno. E o time de Uberlândia é justamente o adversário de Luizomar de Moura na próxima terça-feira, às 21h30, no Triângulo Mineiro, pela terceira rodada do returno. Se vencer o Praia e os jogos atrasados, Osasco pode assumir a liderança da Supeliga. Veja aqui a programação da semana no vôlei e as transmissões. 

Apesar de ter entrado no início do segundo set para atuar como oposta, no lugar da Tifanny, a estreante Ceren foi a maior pontuadora do jogo, com 21 pontos (15 de ataque, 5 de bloqueio e 1 de saque) e ficou com o Troféu Viva Vôlei.

Outra jogadora que entrou bem em Osasco foi a levantadora Kenya, que substituiu Fabíola a partir do segundo set e ficou até final. Kenya usou bastante a primeira bola com a norte-americana Rachael Adams, outro nome que se destacou na vitória desta noite, com 15 pontos. As donas da casa marcaram 20 pontos de bloqueio: 7 com Fabiana (que marcou 11 pontos no total), 6 com Adamas e 5 com Ceren. Michelle e Carla mantiveram o bom nível no passe e no ataque. Terminaram a partida com 11 e 12 pontos, respectivamente. Brait mostrou a eficiência de sempre.

Valquíria foi o destaque do Sesc RJ Flamengo, com 15 pontos – 7 deles de bloqueio. Peña pontuou 12 veszes e Milka, 7. O time carioca marcou 13 pontos de bloqueio. Monique começou como titular, depois de um bom tempo fora, recuperando-se de uma lesão abdominal, foi irregular e marcou apenas 6 pontos. Maira e Juciely contribuíram com 4 cada.

Além da vitória, Osasco colocou em quadra, durante algum tempo, aquela que pode ser a formação do time daqui pra frente. No final da terceira parcial, Tifanny entrou em quadra no lugar da Carla. Inicialmente, ela foi contratada para jogar como ponteira. Mas, com a suspensão por doping sofrida por Tandara em agosto o ano passado, durante os Jogos de Tóquio, Tifanny foi para a saída de rede e Carla e Michelle foram aprovadas como ponteiras titulares. Agora, com a chegada da Ceren, Luizomar volta a ter a opção de escalar Tifanny como ponteira, numa situação em que precisa de mais força no ataque pelas extremidades.

O rubro-negro começou o jogo muito concentrado, sacando taticamente bem, caçando Carla no serviço e evitando sacar na líbero Camila Brait. A recepção de Osasco comprometeu e o time de Bernardinho imprimiu um ritmo forte no fundo de quadra, defendendo com eficiência e pontuando nos contra-ataques. A partir do segundo set, no entanto, o saque de Osasco  passou a fazer a diferença. Maira e Peña sentiram dificuldade na recepção e a equipe do Rio passou a ter dificuldade na sua virada de bola.

 

O Sesc RJ Flamengo recebe o Brasília, na próxima terça-feira, às 19h, no Ginásio Hélio Maurício, na Gávea, pela terceira rodada do returno, com transmissão pelo Canal Vôlei Brasil.

Veja também

Bernardinho e Venturini entram para o Hall da Fama

O Brasil terá mais dois representantes no Hall da Fama do vôlei. O técnico Bernardinho e a…