Abouba
Home Destaques Abouba faz balanço de “temporada diferente”
Destaques - Internacional - Vaivém - 14 de maio de 2022

Abouba faz balanço de “temporada diferente”

Oposto já fala em continuar no Tours na temporada 2022/2023

Abouba retornará ao Brasil na próxima semana após uma temporada na equipe do Tours, da França. O oposto canhoto volta ao país com um misto de sentimentos de frustração e superação, já que está 100% recuperado do rompimento total do tendão de Aquiles direito sofrido em um torneio de pré-temporada francesa, em outubro passado. O Tours terminou a temporada com três vice-campeonatos: o da Copa CEV, da Copa da França e do Campeonato Francês.

– Essa temporada foi diferente de todas as outras para mim por causa da minha lesão bem no inicio do trabalho. Não tive a oportunidade de ajudar a equipe em grande parte das competições, mas meu grande objetivo era me recuperar 100% e consegui. Fica um sentimento de superação e um pouco de frustração porque gostaria de ter ajudado um pouco mais o time, principalmente, nessa reta final. Agora é descansar a mente e me preparar bem para a próxima temporada – afirmou Abouba.

O destino do oposto deve ser continuar em Tours. Será uma nova oportunidade de ajudar o time a conquistar os títulos que não vieram em 21/22. Abouba gostou da primeira experiência na equipe, que foi comandada pelo também brasileiro Marcelo Fronckowiak, e que contou com o campeão olímpico em Tóquio, Kevin Tillie, além do central Aracaju.

– Foi uma experiência muito boa. O grupo realmente era muito unido dentro e fora de quadra, e o Kevin é um cara fora de série. Já tinha jogado contra ele na Itália, e agora jogar junto foi um prazer. Nosso dirigente também fez parte da comissão técnica da seleção da França nos Jogos Olímpicos. Pascal é um cara que sempre está disponível para nos ajudar da melhor forma possível. Acho que nossa equipe fez uma grande temporada. Merecíamos algum título por tudo o que passamos e obstáculos que superamos.

Depois de duas temporadas na Itália, Abouba morou pela primeira vez em solo francês.

– A França é um pais muito rico culturalmente e me senti muito bem acolhido aqui. A cidade de Tours abraça o vôlei, além de ser uma cidade muito boa para morar – afirmou.

Veja também

Bernardinho e Venturini entram para o Hall da Fama

O Brasil terá mais dois representantes no Hall da Fama do vôlei. O técnico Bernardinho e a…