Ataque da capixaba Julhia, de apenas 15 anos
Home Categorias de base Vôlei de praia: nova geração do país repercute título de Duda e Ana Patrícia
Categorias de base - Praia - 23 de junho de 2022

Vôlei de praia: nova geração do país repercute título de Duda e Ana Patrícia

Julhia, Carol Sallaberry e Manu disputam a etapa de Vila Velha do Circuito Brasileiro inspiradas pelas campeãs mundiais

A conquista das brasileiras Duda e Ana Patrícia no Campeonato Mundial de vôlei de praia, em Roma, no último fim de semana, serviu de motivação para a nova geração da modalidade que disputa a etapa de Vila Velha do Circuito Brasileiro, a sexta da temporada. Além do show das mulheres, o país saiu da Itália com as medalhas de prata de Vítor Felipe/Renato e bronze de André/George.

Nesta quinta-feira, a etapa de Vila Velha terá a disputa da fase de grupos e as oitavas de final do Aberto. Na sexta-feira, a partir de 8h, começa a fase de grupos do Top 8. Na sequência, acontecem as quartas de final e das semifinais do Aberto, até 19h30. A arena montada na Praia da Costa, em Vila Velha, tem entrada gratuita.

– Consegui acompanhar quase todos os jogos do Mundial. Vi todas as semifinais e finais. É um espelho a se seguir. Vemos as duas no lugar mais alto do pódio e queremos ser iguais a elas. Quando alguém atinge o ápice, você quer aquilo. Todo mundo quer ser igual a seus ídolos. Eu via uma jogada na TV e chegava no treino querendo fazer igual. Você chega empolgada, querendo imitar seus ídolos – disse a capixaba Julhia, de 15 anos, mesma idade que Duda tinha quando estreou no Circuito Brasileiro.

Inspiração dá resultado!

Carol Sallaberry, de 17 anos, se atentou aos olhares de Ana Patrícia na final. A garra dos jogadores nas partidas também serviu de inspiração e deu resultado. Pela primeira vez, ela e Nina, de 16 anos, conseguiram passar do qualifying do Circuito Brasileiro adulto de vôlei de praia e avançaram para a o torneio principal do Aberto, que acontece nesta quinta-feira na arena montada na Praia da Costa.

– A gente viu os jogos, viu a garra dos jogadores brasileiros dentro de quadra. Vimos que todos deram o máximo e foi muito inspirador. Como o Campeonato Mundial acabou há pouco, chegamos para esta etapa de Vila Velha querendo jogar parecido. Na final, me chamou atenção como a Ana Patricia estava focada. A gente viu a garra delas e foi muito lindo. Também vibrei muito com André e George, e Vitor Felipe e Renato – diz Carol.

Para a mineira Manu, de 19 anos, ver a conterrânea Ana Patricia conquistar o título foi motivação extra para os treinos.

– Dá mais esperança e mostra que a gente não está tão longe. Uma menina sair de Minas Gerais, um lugar que não tem praia, sem muito vento… Quero ir para um Mundial e a Ana Patricia me inspira muito, porque é uma atleta que começou onde a gente está – explica Manu.

Veja também

Brait vira embaixadora do Osasco. Patrocinador renova

Camila Brait trocou a joelheira e os tênis por um jaleco. A líbero se vestiu de médica, ma…