Baladin
Home Destaques Baladin e centrais decidem pela Turquia diante do Japão
Destaques - Liga das Nações - 1 de julho de 2022

Baladin e centrais decidem pela Turquia diante do Japão

Vitória turca tirou as japonesas da vice-liderança da Liga das Nações

Num dos jogos mais esperados desta terceira etapa da VNL feminina, a Turquia, liderada por Baladin, enfrentou o Japão, em Calgary (CAN), levou a melhor por 3 sets a 1 (25-20, 25-15, 18-25 e 25-22). Ambas as equipes já garantiram vaga na próxima fase: a Turquia por ser país-sede e o Japão pela posição e campanha na competição.

Os técnicos decidiram poupar as principais pontuadoras das equipes. Tanto Ebrar Karakurt como Sarina Koga iniciaram no banco de reservas. A brecha abriu oportunidade para as demais jogadoras buscarem protagonismo. A ponteira Hande Baladin correspondeu, sendo o grande destaque do time de Giovanni Guidetti. Com 18 pontos, Baladin só não pontuou mais que a ponteira Mayu Ishikawa, do Japão, que obteve 19 acertos. O sucesso turco também passou muito pelo meio de rede com Zehra Gunes e Eda Erdem que anotaram 16 e 15 tentos, respectivamente. As centrais marcaram 11 dos 19 pontos de bloqueio da Turquia ao longo da partida.

Enquanto Karakurt atuou nos finais de set, sendo importante na virada de bola, a ponteira Sarina Koga não foi utilizada, deixando uma lacuna na virada de bola da equipe asiática. A ponteira Arisa Inoue não teve grande apresentação e deixou a quadra com cinco pontos. Juntamente com Ishikawa, a ponteira Hayashi Kotona foi a maior pontuadora com 12 pontos.

Veja os números da partida:
Turquia x Japão
Ataques: 55 – 50
Aces: 2 – 4
Bloqueios: 19 – 5
Erros: 23 – 17

Quem se beneficiou do tropeço japonês foi o Brasil, que agora ocupa o posto de vice-líder da competição, enquanto o Japão caiu para a terceira posição (veja como ficaria a próxima fase da VNL). A Turquia segue na sexta colocação e finaliza sua participação na fase classificatória amanhã contra os Estados Unidos, às 17h. A seleção japonesa ainda faz mais dois jogos, amanhã contra a Sérvia (20h) e no domingo encerra contra a Bélgica às 14h (todos os horários de Brasília).

Por Robson Leal, em colaboração ao Web Vôlei

Veja também

Flávio admite viver momento especial da carreira

Aos 29 anos, Flávio vive um dos melhores momentos da carreira. O meio de rede defenderá o …