Irã contou com a força de Amirhossein
Home Destaques Irã cala torcida polonesa e leva a melhor no tie-break
Destaques - Liga das Nações - 5 de julho de 2022

Irã cala torcida polonesa e leva a melhor no tie-break

Irã venceu a Polônia por 3 a 2 na abertura da terceira fase da VNL

No encerramento do primeiro dia de jogos da terceira semana da Liga das Nações masculina, a Polônia recebeu o Irã, em Gdansk, em uma das maiores rivalidades do vôlei atual. Diante de quase 9 mil pessoas, os iranianos calaram a torcida polonesa e derrotaram os donos da casa por 3 sets 2, com parciais de 21-25, 25-23, 25-22, 25-27 e 15-7.

Essa foi apenas a segunda derrota dos poloneses nessa VNL, que tentarão reencontrar o caminho das vitórias contra os chineses na quinta-feira, às 15h (de Brasília). Já o Irã se firma no top 8 com cinco vitórias e segue de olho na vaga para os playoffs. Na quinta-feira, eles enfrentam os italianos às 9h.

Repetindo o resultado das Olimpíadas de Tóquio, quando também saiu derrotada no primeiro set, a equipe asiática conseguiu impor um ritmo forte de saque e incomodando muito os adversários na defesa. Os ponteiros Amirhossein Esfandiar e Milad Ebadipour comandaram o triunfo com 21 e 18 pontos, respectivamente. Principal pontuador da equipe nas semanas anteriores, o oposto Amin Esmaeilnezhad somou 18 acertos, sendo o grande protagonista do tie -break.

Pelo lado polonês, apesar do revés, o oposto Bartosz Kurek seguiu gastando a bola na saída de rede. Com 23 pontos ,ele foi o maior marcador do confronto. O central Bieniek também foi outro destaque, com cinco bloqueios, quatro aces e oito ataques, ele somou 17. No 4° set, a equipe perdia por 23-21, mas com a entrada do ponteiro Tomasz  Fornal no saque e fazendo dois aces na sequência, a Polônia conseguiu se reerguer e forçar o set desempate. O que acabou não surgindo efeito já que os iranianos sobraram no tie-break.

Veja os números do clássico vencido pelo Irã:

Polônia x Irã
Ataques: 60 — 56
Aces: 10 — 9
Bloqueios: 12 — 5
Erros: 41 -22

Por Robson Leal, em colaboração ao Web Vôlei

Veja também

Fluminense: aposta em elenco alto, jovem e agressivo

Primeiro campeão brasileiro de vôlei feminino, em 1976, e seis vezes campeão sul-americano…