Natinha
Home Destaques Natinha ou Nyeme contra o Japão? Dupla analisa a “disputa”

Natinha ou Nyeme contra o Japão? Dupla analisa a “disputa”

Dupla se revezou na titularidade da posição de líbero durante a Liga das Nações

Durante a fase classificatória da Liga das Nações, as líberos Nyeme e Natinha tiveram chances como titulares da Seleção Brasileira feminina. E o bom desempenho do fundo de quadra ajudou a equipe a avançar para a fase final com a segunda melhor campanha, atrás apenas dos Estados Unidos. Nyeme começou como titular, enquanto Natinha terminou a terceira etapa no time-base. Nesta quarta-feira, uma das dúvidas do vôleifã na escalação é exatamente nesta posição. O time dirigido por José Roberto Guimarães encara o Japão, às 9h (de Brasília), pelas quartas de final, em Ankara, na Turquia.

A dupla comentou o duelo com as asiáticas:

– O principal para jogar contra o Japão é ter paciência. Temos que passar bem para jogar contra um bloqueio simples. Eu e a Nyeme estamos no mesmo nível. Com uma ou outra em quadra, o time se mantém no mesmo padrão. Estamos brigando por posição e isso é positivo para o crescimento das duas e do time. Quem o Zé escolher para começar o jogo vai fazer um bom papel – disse Natinha.

– O Japão é especialista em passe e defesa. Elas têm muito volume de jogo e vamos precisar ter calma, porque não vamos rodar as bolas com facilidade. Eu e Natinha temos uma convivência amigável e sabemos que precisamos estar sempre em alto nível para representar o Brasil. Ela me faz evoluir e o principal é sempre o time – garantiu Nyeme.

Zé Roberto também destaca a paciência como virtude fundamental na busca por uma vaga na semifinal.

– O Japão joga com velocidade e tem uma defesa muito boa. Vamos precisar de paciência. É um time que imprime uma velocidade diferente das outras equipes, tanto na entrada como na saída, e joga rápido com as centrais. A grande chave do Japão é a defesa, talvez a melhor do mundo. Espero que possamos fazer uma grande partida, sacando melhor e com poucos erros. A expectativa é de um grande jogo – comentou o treinador.

Veja também

Fluminense: aposta em elenco alto, jovem e agressivo

Primeiro campeão brasileiro de vôlei feminino, em 1976, e seis vezes campeão sul-americano…