São Caetano volta à Superliga
Home Especiais São Caetano dá salto para a reconstrução
Especiais - Estaduais - Superliga - 26 de julho de 2022

São Caetano dá salto para a reconstrução

Em fase de reconstrução, o Energis 8/São Caetano está de volta à Superliga feminina de vôlei. O tradicional time do ABC Paulista, que conquistou a última edição da Superliga B e garantiu o acesso, é o tema da abertura de uma série especial do Web Vôlei sobre as equipes confirmadas na próxima edição do campeonato.

Desde 2019 sob o comando de Fernando Gomes, o São Caetano passou por um período de adversidades devido à falta de investimentos, mas a paixão da cidade pelo esporte sempre falou mais alto. O clube fechou com a Energis 8 já na reta final da Superliga 2020/2021, quando acabou rebaixado sem conquistar uma vitória sequer. A parceria, no entanto, tinha objetivos maiores com o passar do tempo.

O planejamento dos dirigentes, o suporte da marca e a qualidade das categorias de base, tradicionalmente vitrines para jogadoras de todos os cantos do Brasil, levaram a equipe ao topo da segunda divisão da Superliga, com uma campanha de 11 vitórias em 12 partidas.

A medalha de ouro na Superliga B foi conquistada no dia 11 de abril deste ano, após vitória na decisão sobre o Abel/Moda Brusque, outro classificado para a elite, por 3 sets a 2, com arquibancadas cheias no Ginásio Milton Feijão, casa da equipe do ABC. A expectativa das atletas e da comissão técnica é de voltar a presenciar a cena mais vezes na temporada que começa no segundo semestre.

Campeão brasileiro em 1991/1992 da então chamada Liga Nacional, São Caetano já teve elencos estrelados nas edições 2008/2009 e 2009/201o, quando teve como destaques o trio dourado formado por Fofão, Mari e Sheilla. Se hoje não é possível se equiparar aos tempos mais gloriosos, o elenco promete lutar para incomodar. A classificação para os playoffs seria uma realização.

A base campeã da Superliga B foi mantida, com destaque para a levantadora Mikaella, a ponteira Duda Lima e a líbero Laís Lima. O grande reforço é a oposta Camila Mesquita, campeã da Superliga 2020/2021 pelo Itambé/Minas, que vem do Pinheiros.

As experientes Camila Leite, destaque do Unilife/Maringá na última edição, e Naiara Félix, de volta ao vôlei brasileiro, são outros nomes importantes. Jovens talentos, como a ponteira Isabella Rocha, ex-Fluminense, também reforçam o grupo.

Posição na última Superliga: Campeão da Superliga B

Reforços contratados: Camila Mesquita (oposta), Camila Leite (central), Naiara Félix (ponteira), Leticya Franco (central), Lorrayne Endres (ponteira) e Isabella Rocha (ponteira).

Quem teve o contrato renovado ou subiu das categorias de base: Mikaella (levantadora), Laryssa (ex-levantadora, agora ponteira), Duda Lima (ponteira), Laís Lima (líbero), Duda Rudgeri (levantadora), Dara (central), Yasmin (central), Letícia Cruz (oposta), Eduarda (ponteira) e Luana (ponteira).

Principal baixa: Mariana Blum (AOF Porfyras, da Grécia)

Estrangeiras: Não tem

Técnico: Fernando Gomes

Competições previstas no calendário: Jogos Regionais, Jogos Abertos do Interior, Copa São Paulo, Campeonato Paulista e Superliga.

Veja também

Mineiro masculino: divulgados os oito participantes

A Federação Mineira anunciou, nesta terça-feira, os oito participantes do Estadual masculi…