Pinheiros
Home Destaques Pinheiros: patrocínio novo e pretensões atualizadas
Destaques - Especiais - Estaduais - Superliga - 5 de agosto de 2022

Pinheiros: patrocínio novo e pretensões atualizadas

Clube da capital paulista qualifica elenco e mostra que os objetivos serão maiores na temporada 2022/2023

Xodó da Superliga feminina, o Pinheiros dá a largada para a temporada 2022/2023 com patrocínio novo e o propósito de reforçar sua tradição. O clube paulistano, um dos maiores formadores do Brasil e presente em todas as edições do torneio até hoje, é o tema da nona matéria da série especial do Web Vôlei sobre os 24 participantes da Superliga 2022/2023.

A marca Verzani & Sandrini se somou ao projeto ao lado da EMS e dos demais apoiadores, o que garantiu à comissão técnica chefiada por Reinaldo Bacilieri uma qualidade maior de atletas em todas as posições. É, sem dúvidas, a grande oportunidade do treinador desde que chegou ao Pinheiros, em 2019, após ser campeão da Superliga com o EMS Taubaté Funvic, como auxiliar técnico.

A estratégia da diretoria foi buscar no mercado reforços experientes que pudessem impulsionar ainda mais o talento das novas gerações. São os casos da levantadora Naiane, repatriada após se sagrar campeã da liga polonesa com o Chemik Police, das centrais Mara e Andressa Picussa, que chegam do Sesi Vôlei Bauru e do Joker Świecie (Polônia), respectivamente, e das ponteiras Paula Mohr (ex-Fluminense) e Amanda Danielli (ex-Unilife/Maringá).

Dentre os jovens valores, seguem no grupo Rosely Nogueira, levantadora de 2001, Carol Grossi, oposta de 2002, Alexia Cocco e Vitória Parise, ponteiras de 2001 e 2002, respectivamente, e Kelly Gomes, central de 2001. A oposta Edinara e a ponteira Talia, destaques da temporada passada, também foram mantidas.

A levantadora Carol Leite, que se transferiu para o Barueri, a ponteira Sonaly, anunciada pelo Brasília Vôlei, a central Larissa Gongra, de volta ao Fluminense, e a oposta Camila Mesquita, agora no Energis 8/São Caetano, são as principais saídas.

Após um período de pretensões modestas, a intenção do Pinheiros agora é brigar por títulos regionais e projetar um caminho mais duradouro na Superliga. A última taça foi a da Copa Brasil 2014/15, ainda sob o comando de Wagão, ao bater o Sesi-SP na final.

Nomes importantes da Seleção Brasileira feminina fizeram parte daquela conquista, como a levantadora Macris, a ponteira/oposta Rosamaria e a oposta Lorenne. O clube também já contou com as campeãs olímpicas Fernanda Garay, Tandara e Dani Lins em seus elencos.

Posição na última Superliga: 8ª.

Reforços contratados: Isis Simonetti (levantadora), Naiane (levantadora), Amanda Danielli (ponteira), Paula Mohr (ponteira), Mara (central) e Andressa Picussa (Central).

Quem teve o contrato renovado: Rosely Nogueira (levantadora), Edinara (oposta), Carol Grossi (oposta), Alexia Cocco (ponteira), Talia (ponteira), Parise (ponteira), Gabi Martins (central), Kelly Gomes (central) e Kika (líbero).

Quem saiu: Carol Leite (levantadora – Barueri), Camila Mesquita (oposta – São Caetano), Sonaly (ponteira – Brasília), Dani Suco (central), Larissa Gongra (central – Fluminense), Victória Justi (central – Brusque) e Isabella Araújo (líbero).

Estrangeiras: Não.

Técnico: Reinaldo Bacilieri.

Competições previstas no calendário: Copa São Paulo, Campeonato Paulista, Copa Brasil e Superliga.

Veja também

Brasil leva virada na Copa Pan-Americana

A quarta-feira (10/8) não foi marcada pela reabilitação do Brasil na Copa Pan-Americana, e…