Brasil
Home Coluna Opinião: Brasil termina a VNL sem conseguir escalar o time ideal

Opinião: Brasil termina a VNL sem conseguir escalar o time ideal


O Brasil deu adeus à VNL 2023 ontem, com a derrota para a China, nas quartas de final, sem conseguir escalar o time ideal. Ana Cristina, Thaisa e Gabi que, em tese, formam um tripé importante para José Roberto Guimarães, não atuaram juntas. Resultado: Foram 11 escalações diferentes em 13 partidas pela Liga das Nações em busca de um sexteto para chamar de seu. Confira as escalações no final do texto.

E Zé Roberto não conseguiu escalar seu “dream team” por vários motivos. Começo por aqueles que ele não tem controle: as contusões. Na primeira semana – a mais regular do Brasil, com atuações equilibradas – a Seleção teve Ana Cristina jogando com Macris, reeditando a dupla de sucesso do Fenerbahce, campeão turco. Lara, que seria a opção mais provável na rede de duas atacantes, se machucou poucos dias antes da estreia, durante um amistoso contra o Japão. Carol, que em teoria iria descansar nos primeiros jogos, teve de ir pra quadra.

O Brasil passou bem pela primeira semana, com três vitórias e uma derrota para a China, no tie-break. Na segunda semana, a notícia que ninguém queria: Ana Cristina se lesionou num treino a três dias da estreia da etapa de Brasília. Etapa que contou com a estreia da Thaisa, sob grande expectativa. Sem Ana Cristina e Gabi, que também sentiu um desconforto no joelho e foi poupada, o time brasileiro começou uma busca frenética pela melhor formação nas pontas. Para piorar, contra os EUA, a única ponteira de origem no banco, Pri Daroit, sentiu o posterior da coxa e não foi possível fazer substituições na posição. Julia Bergmann foi caçada no saque e não tinha uma ponteira para substituí-la.

Na terceira semana, Brasil teve a volta de Gabi, sem ritmo e sem treinar direito. No meio disso tudo, a Seleção teve de testar seis opostas na posição: Kisy, Lorrayna, Rosamaria, Lorene, Maiara Basso (improvisada) e Tainara. Dessas, a única que passou mais confiança foi a oposta do Dentil Praia Clube. Mas, praticamente só jogou dois sets, os dois últimos contra a China, ontem.

É preciso falar sobre a rede de duas atacantes. Nem Carol nem Thaisa jogam na rede de duas nos seus clubes. Esse seria o papel da Lara. E é o papel que a Carol Gattaz desempenha muito bem. Sem uma especialista na função, o Brasil ficou automaticamente sem uma jogada importante e que costuma não só pontuar bem, como também puxar a marcação e aliviar a tensão sobre as extremidades, a china. Carol Gattaz e Lara tiveram de operar o joelho.

Zé Roberto também não conseguiu encontrar o time ideal por conta das atuações irregulares de algumas jogadoras. Macris e Roberta oscilaram muito. Ontem, Zé começou com a Macris, iniciou o terceiro set com a Roberta e no meio da parcial voltou com a Macris. As duas foram eleitas as melhores levantadoras nas ligas que disputaram na última temporada (Turca e Polonesa). Mas, alternaram bons e maus momentos ao longo da VNL.

O mesmo com as líberos. Natinha e Nyeme foram inconstantes. No Pré-Olímpico, de 16 a 23 de setembro, no Japão, o Brasil terá Gabi, com mais ritmo; talvez Ana Cristina, recém-recuperada da cirurgia; e Thaisa, a melhor jogadora da Seleção nestas seis primeiras semanas da temporada de seleção. E aí sim, é esperado ter mais segurança na virada de bola. Antes, será preciso definir quem será a nossa oposta titular.

Confira as escalações da Seleção nas 13 partidas da VNL:

Semana 1 – Nagoya, Japão

Brasil 2 x 3 China
Macris, Kisy, Diana, Carol, Ana Cristina, Julia Bergmann, Natinha

Brasil 3 x 0 Holanda
Macris, Kisy, Carol, Diana, Ana Cristina, Julia Bergmann, Natinha

Brasil 3 x 1 República Dominicana
Macris, Kisy, Carol, Diana, Ana Cristina, Julia Bergmann, Natinha

Brasil 3 x 0 Croácia
Macris, Lorrayna, Carol, Diana, Ana Cristina, Julia Bergmann, Natinha

Semana 2 – Brasília

Brasil 3 x 0 Coreia do Sul
Macris, Lorenne, Thaisa, Diana, Pri Daroit, Julia Bergmann, Nyeme

Brasil 3 x 2 Sérvia
Macris, Kisy, Thaisa, Carol, Pri Daroit, Julia Bergmann, Nyeme

Brasil 3 x 1 Alemanha
Macris, Kisy, Thaisa, Carol, Pri Daroit, Maiara Basso, Nyeme

Brasil 0 x 3 EUA
Macris, Rosamaria, Thaisa, Carol, Julia Bergmann, Maiara Basso, Nyeme

Semana 3 – Bangkok, Tailândia

Brasil 3 x 2 Itália
Macris, Rosamaria, Thaisa, Carol, Maiara, Gabi, Natinha

Brasil 2 x 3 Canadá
Roberta, Rosamaria, Thaisa, Carol, Julia Bergmann, Gabi, Natinha

Brasil 0 x 3 Turquia
Macris, Lorrayna, Thaisa, Carol, Maiara Basso, Gabi e Nyeme

Brasil 3 x 0 Tailândia
Macris, Rosamaria, Thaisa, Carol, Maiara Basso, Gabi e Nyeme

Quartas de final – Arlington, EUA

Brasil 1 x 3 China
Macris, Kisy, Thaisa, Carol, Gabi, Maiara Basso e Natinha

Por Patrícia Trindade